Del Nero é eleito o novo presidente da CBF

RAMON ANDRADE/FOLHA

A votação para definir o sucessor de José Maria Marin no comando da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) aconteceu na tarde desta quarta-feira (16), na sede da entidade, no Rio de Janeiro. Único candidato, Marco Polo Del Nero foi eleito com 44 de um total de 47 votos. Dois votaram em branco e uma abstenção.

Atual presidente da Federação Paulista de Futebol, Del Nero toma oficialmente o posto de mandatário da CBF a partir de abril de 2015. Seu vínculo encerra no final da temporada 2018. Vale lembrar que Marin passará a ser vice-presidente, responsável pela região Sudeste, ao lado de Fernando José Sarney, Delfim Pádua Peixoto, Marcos Antônio Vicente e Gustavo Dantas. Este último será representante do Nordeste.

A curiosidade ficou por conta dos representantes de Figueirense e Icasa, que brigam na Justiça por uma vaga na Série A. Os dirigentes do clube catarinense, por conta disso, optaram por não participar da votação. Já os cearenses compareceram, mas não puderam votar.

 


Caça admite queda de motivação no Arruda

(Foto: Peu Ricardo)

WILLIAM TAVARES/FOLHAPE

Enfrentar o Salgueiro pela decisão do terceiro lugar do Campeonato Pernambucano não fazia parte do cenário que o Santa Cruz previa para esta quarta-feira. Mas é a dura realidade que o Tricolor precisa encarar. O jogo não tem a mesma importância do Clássico dos Clássicos que acontece no mesmo dia e vale o título do estadual, e os tricolores não esconderam a queda de motivação no Arruda.

“A motivação não é a mesma. Queríamos estar na final, mas não deu. Temos que arranjar força agora para conseguir a vaga na Copa do Nordeste”, afirmou o atacante Flávio Caça-rato.

Caça também vive um jejum de gols. Os últimos dois que o atacante marcou foi justamente contra o Salgueiro, na goleada por 7×0. De lá para cá, nada do atacante balançar as redes.

“Atacante vive de gol, então isso incomoda. Mas sou tranqüilo e sei que na hora certa vou voltar a fazer os gols”, declarou.

 


Torcida convocada para a final de sábado

Leoninas buscam vitória para levar a decisão para a melhor de três (Divulgação/Biaman Prado/MB)

IRCE FALCÃO/ DA FOLHA PE

“Sei que é uma data difícil, mas lugar de rubro-negro, sábado, é na Ilha do Retiro”. A convocação é do técnico do basquete feminino do Sport, Roberto Dornelas, que fornece uma injeção de ânimo para motivar a torcida após a derrota no primeiro jogo da série decisiva da Liga de Basquete Feminino (LBF), diante do Americana/SP. “O Americana fez a parte dele e venceu em casa. Agora é a nossa vez e, se trabalharmos direito, temos tudo para sermos campeões. A torcida é importantíssima para pressionar as adversárias”, completou o treinador.

Sob a alcunha de clássico nacional do basquete feminino, Sport e Americana voltam a se enfrentar no sábado, às 13h, no Ginásio Marcelino Lopes, com as leoas tendo a obrigação de vencer para continuar sonhando com o título. Para já adaptar o elenco ao horário do jogo, treinos diários às 14h, com um ritmo puxadíssimo. “Tudo o que puder ajudar nesse momento é válido, incluindo a adaptação ao horário. Almoçar mesmo não dá, porque é muito próximo da hora de treinar”, comentou a armadora Adrianinha.

Ontem, Dornelas realizou movimentações táticas simulando ataque e defesa, com foco principal no sistema defensivo da equipe pernambucana, que deixou a desejar nesse fundamento na partida de ida. Também reforçou a necessidade de eficiência nos arremessos, no intuito de diminuir os erros de finalização, e fez um coletivo rápido mesclando bastante as jogadoras. “Já revi o jogo sete vezes. E verei mais umas três, pelo menos, porque essa partida vai ser decidida nos detalhes. Individual e coletivamente, elas jogaram bem abaixo, pecando em coisas bobas e é isso que estamos buscando consertar”, disse Dornelas, revelando que a postura do elenco após o revés tem sido bastante positiva na preparação para o confronto da volta. “Pela primeira vez, elas pediram para ver a gravação do jogo com áudio aberto para comentários. Se cobraram bastante e isso mostra como a partida mexeu”, completou.
Capitã da equipe, Adrianinha não esconde que o resultado do jogo em Americana não deixou o grupo feliz. Exigente com o próprio desempenho, a armadora revela que a concentração está redobrada nessa fase final da Liga. “Em quadra, a gente não consegue ter uma análise tão boa quanto vendo no vídeo. O time se avaliou e sabe que ficou abaixo do que pode render. Ninguém gosta de perder, lógico, mas também não pode ficar se lamentando”, disse a atleta, uma das peças principais do elenco rubro-negro. Hoje, o time volta a treinar às 14h, com os portões abertos à torcida.


Carcará quer terceira colocação diante da Cobra Coral

O sonho do Salgueiro em disputar sua primeira final do Campeonato Pernambucano acabou, mas a possibilidade da equipe conquistar uma vaga na Copa do Nordeste 2015 e na Copa do Brasil ainda permanece viva na mente do Carcará. Para isso, o desafio inicial é fazer o dever de casa, hoje, no Cornélio de Barros, e derrotar o Santa Cruz para trazer uma boa vantagem na partida de volta, no Arruda.

Desfalques na segunda partida da semifinal, contra o Náutico, o centroavante Fabrício Ceará e o lateral-direito Marcos Tamandaré são dúvidas também para o confronto contra o Tricolor. O atacante está fora do time há dois jogos, por conta de dores lombares, já o lateral estava bem até minutos antes da partida contra o Náutico, mas foi vetado nos vestiários após reclamar de cansaço muscular. Caso a dupla não tenha condições de ir a campo, o técnico Cícero Monteiro deve optar novamente por Everton e Sidny, respectivamente.

O retrospecto do Salgueiro contra o Santa Cruz nesta temporada não empolga os sertanejos. Em casa, o Carcará não saiu de um empate em 1×1. No Arruda, a equipe sofreu uma sonora goleada por 7×0, a maior até então na competição.


Procura por ingresso para decisão é baixa

Movimentação é muito tranquila nas bilheterias do Sport (Foto: Williams Silva)

WILLIAMS SILVA/ DA FOLHA PE

A poucas horas para a primeira partida da final do Campeonato Pernambucano 2014, um fato estranho na Ilha do Retiro. No palco dos primeiros 90 minutos do embate, as bilheterias, ponto de venda dos ingressos do jogo, estão todas vazias.

Isso mesmo, vazias. O motivo? Talvez por conta do horário do jogo ou até mesmo do horário em que a reportagem da Folha de Pernambuco foi acompanhar as vendas (11h).

Porém, a tendência é que, até o começo da noite, os torcedores compareçam em bom número para comprar a entradas do Clássico dos Clássicos decisivo. Vale lembrar que os bilhetes serão vendidos até o fim do primeiro tempo do jogo. A partida está marcada para começar às 22h.


Santa em busca da consolação

WILLIAM TAVARES/ DA FOLHA PE

Enfrentar o Salgueiro, hoje, pela decisão do terceiro lugar do Campeonato Pernambucano não fazia parte do cenário que o Santa Cruz previa e sonhava. Mas é a dura realidade que o Tricolor precisa encarar. Valendo uma vaga na Copa do Nordeste do próximo ano, o Santa vai até o Cornélio de Barros para vencer e recuperar a moral perdida após as recentes eliminações para o Sport no Estadual e no Nordestão.

Ainda abatido após a perda do pênalti que culminou na desclassificação do Santa Cruz na semifinal do Pernambucano, para o Sport, o meia Carlos Alberto não foi relacionado para a partida contra o Salgueiro. O técnico Vica achou por bem poupar o atleta, mas garantiu que vai com força máxima para o confronto.

“Ele está abatido, essa é a realidade. Tivemos uma conversa e vi que ele não estava legal para esse jogo. Ele me pediu para entender esse lado dele. Agora ele vai descansar um pouco e reunir forças para sábado”, afirmou o treinador. Nos últimos dois dias, o meia sequer subiu ao gramado do Arruda para treinar com os demais reservas.

Sobre o fato de levar os titulares, Vica destacou que foi um pedido direto da diretoria. “Conversei também com o Jomar e o Tininho (diretores de futebol) e achamos melhor botar o time titular. Foi colocada a necessidade da classificação, até para disputar a Copa do Nordeste do próximo ano, além de envolver também a parte financeira. Passou pela minha cabeça poupar alguns jogadores, como fiz na Copa do Brasil. Mas, pela importância do jogo e o alto nível do adversário, achei melhor não fazer isso”, argumentou Vica.

A única dúvida do treinador está no meio-campo. Pingo e Jefferson Maranhão disputam uma vaga para atuar ao lado de Raul. Um deles vai substituir o volante Memo, com o Santa voltando a atuar no 4-4-2.

“Não devo começar com três volantes. Vamos voltar como vínhamos jogando, de repente com três atacantes ou três meias chegando. Como o Renatinho está fora, fico na dúvida entre o Pingo e o Maranhão. O restante é o mesmo time que jogou no domingo”, explicou o técnico Vica.

Durante partida, o comandante coral vai acionar Betinho. A modificação é pensando já no duelo do sábado, contra o ABC, na estreia da Série B. O jogador será o titular no ataque contra os alagoanos, já que Léo Gamalho cumprirá suspensão por conta do cartão vermelho recebido no clássico contra o Sport, ainda pelo Nordestão.

SAIBA MAIS

Reformulação – O atual elenco do Santa Cruz passará por uma reformulação. As recentes eliminações nas sêmis da Copa do Nordeste e do Campeonato Pernambucano fizeram o Tricolor pensar em reforçar o grupo para o início da Série B do Campeonato Brasileiro.  De acordo com o técnico Vica, o Santa terá caras novas no segundo semestres e outras antigas deixando o clube.

FICHA DO JOGO

Salgueiro

Luciano; Sidny, Aylton Alemão, Ranieri e Pery; Pio, Moreilândia, Valdeir e Anderson Paraíba; Kanu e Everton.Técnico: Cícero Monteiro

Santa Cruz

Tiago Cardoso; Oziel, Everton Sena, Renan Fonseca e Zeca; Sandro Manoel, Luciano Sorriso, Jefferson  Maranhão (Pingo) e Raul; Flávio Caça-rato e Léo Gamalho. Técnico: Vica

 

Local: Cornélio de Barros (Salgueiro/PE)
Horário: 20h
Árbitro: Emerson Luiz Sobral
Assistentes: Clovis Amaral da Silva e Albino de Andrade Albert Junior


Sport conta com a torcida para vencer rival

RÔMULO ALCOFORADO/ DA FOLHA PE

O Sport conseguiu reencontrar – depois de três ano esquecido – o ponto de ebulição da Ilha do Retiro. A retrospectiva do semestre mostra que foi dentro de seus domínios que o Leão construiu os bons resultados da temporada. Na Copa do Nordeste, venceu CSA, Santa Cruz e Ceará em sequência por 2×0 nas primeiras partidas das eliminatórias – e conseguiu administrar a vantagem fora de casa. No Campeonato Pernambucano, foi o oposto. Perdeu para a Cobra Coral no Arruda no duelo de abertura da semifinal – mas devolveu a derrota ao rival em casa e se classificou nos pênaltis. Se vencer o Náutico por qualquer placar hoje, novamente na Ilha, o Rubro-Negro só deixa de ganhar o título na cobrança de penalidades no duelo de volta. Para alcançar o objetivo, os leoninos contam novamente com o fervor da torcida.

O técnico Eduardo Baptista apela recorrentemente  para a força do torcedor. Ele sabe que uma Ilha do Retiro pulsante é um atalho para a vitória. “Acredito muito na força do nosso 12º jogador, a torcida. Somos muito mais fortes com o apoio das arquibancadas”, costuma repetir em entrevistas. A retribuição dos rubro-negros fora de campo é a razão principal da confiança do treinador num triunfo da partida de hoje. “A verdade é que nós temos que jogar nosso futebol. Acho que o Sport hoje atingiu um nível que ele tem de se impor, principalmente dentro de casa. O Náutico vai ter de se preocupar mais com a gente do que nós com eles”, disse.

O volante Ewerton Páscoa segue linha semelhante. “Nossa equipe vai fazer de tudo para mudar essa história de que eles vêm prevalecendo diante do Sport. A Ilha é nossa casa, é onde temos conseguido grandes resultados. Temos que fazer valer isso”, declarou.

SAIBA MAIS

Marketing – O Sport lançou, ontem, os primeiros uniformes produzidos pela Adidas. A fornecedora desenhou padrões inspirados em seleções que são patrocinadas por ela e que atuarão em Pernambuco durante a Copa: Alemanha, Japão e México.


Lisca conta com o retrospecto para vencer o Sport

Lisca procura a quarta vitória contra o Leão neste ano (Foto: Peu Ricardo/Folha PE/Arquivo)

FERNANDO BARROS/ DA FOLHA PE

A Ilha do Retiro, palco do duelo de hoje, vem recuperando o status de caldeirão. É inegável que o atual time do Sport se fortalece jogando em seus domínios. Mas isso parece não ser o suficiente para assombrar o escrete vermelho e branco neste ano. Afinal, 2014 foi de redenção para o Náutico no território rival. Há dez anos o Timbu não saía vencedor da casa do Leão. O tabu não só foi quebrado, como repetido, já que os dois Clássicos dos Clássicos desta temporada, disputados nos domínios rubro-negros, terminaram com vitória alvirrubra ao soar do apito final.

O Náutico comandado por Lisca vem subvertendo a lógica de sua própria história recente. O Timbu notabilizou-se por ser uma equipe reconhecidamente mais forte atuando diante de sua torcida. Porém, se a equipe era temida em seu campo, os resultados negativos escancaravam a queda de rendimento dos alvirrubros quando o duelo acontecia longe de casa. Contudo, a julgar pela atual temporada, o estigma de time caseiro do Náutico parece ter ficado no passado. É justamente em território alheio que os comandados de Lisca vêm mostrando melhor desempenho.

Na Copa do Nordeste, em três partidas fora, o Náutico venceu uma e empatou outras duas. No Campeonato Pernambucano, foram três vitórias, dois empates e apenas uma derrota em jogos realizados longe da Arena Pernambuco. Pela Copa do Brasil, o time perdeu o único confronto que disputou, o que não diminuiu o ótimo aproveitamento conquistado fora de casa: 53% dos pontos disputados. Mesmo assim, o Timbu não espera facilidade no campo do Sport. “O Abel (Braga, treinador) foi bicampeão aqui com o Santa Cruz e me disse que nunca conseguiu ganhar na Ilha do Retiro, por isso eu sei como é difícil vencer lá”, destacou Lisca.


“A pedidos”, Evandro vai para reeleição em 2015

Presidente afirmou que recebeu pedidos dos clubes para se candidatar à reeleição.. (Foto: Jorge Farias/Folha PE/Arquivo)

GUSTAVO LUCCHESI/BLOG DE PRIMEIRA

Político e cauteloso, a possível e de certa forma provável reeleição no cargo de presidente da Federação Pernambucana de Futebol (FPF) é um dos assuntos que Evandro Carvalho mais tenta driblar ultimamente. Porém, em conversa com o Blog de Primeira, o mandatário afirmou que irá sim concorrer a mais quatro anos de mandato à frente da FPF na eleição que será realizada no segundo semestre do ano que vem.

“Todos os clubes me pediram para continuar e resolvi atender aos pedidos. É uma forma de dar seguimento ao trabalho que vem sendo feito”, assegurou Evandro.

O atual mandatário assumiu o cargo após o falecimento de Carlos Alberto Oliveira, em gosto de 2011. Um ano antes, quando partia para o seu quarto mandato, Oliveira foi “homenageado” pelos clubes e ganhou o direito de uma gestão excepcional de cinco anos, por sugestão do Náutico. Como em 2015 a FPF completa 100 anos de existência, a ideia era deixar Oliveira com a honra de presidir a entidade no seu centenário.

E se seu antecessor passou 15 anos à frente da FPF, Evandro afirma que é totalmente contra a ideia de se perpetuar na presidência. “Eu sempre fui conta mais de uma reeleição e continuo. Ainda não consegui mudar no estatuto, mas minha ideia continua a mesma, de oito anos (uma eleição acompanhada de apenas uma reeleição) ser o limite para o presidente”, afirmou Evandro Carvalho.

É esperar para ver.


Uma decisão à altura do centésimo Estadual

FERNANDO BARROS E RÔMULO ALCOFORADO/ DA FOLHA PE

O centésimo Campeonato Pernambucano terá um campeão à altura de sua história e importância. O duelo, por si só, já é dotado de uma alcunha grandiosa e condizente com o histórico dos confrontos: Clássico dos Clássicos. E nada mais adequado que a taça fique na mão de um dos dois gigantes da Capital. De um lado, o Sport, maior campeão do Estado e em busca de sua 40º conquista estadual. Do outro, o Náutico, detentor do hexacampeonato – a maior sequência consecutiva de títulos locais – e que busca encerrar os dez anos de jejum sem comemorar um troféu. O confronto, que já dura mais de 100 anos, ganhará um novo capítulo marcante. A partir das 22h, a Ilha do Retiro sediará a primeira das duas batalhas decisivas.

O Sport, por outro lado, pode empregar a máxima e não mexer em time que está ganhando. Praticamente não há problemas de lesão. Todos os atletas – à exceção do volante Anderson Pedra – estão à disposição de Eduardo Baptista para a partida. Por isso, a tendência é que a formação que venceu o Santa Cruz no último domingo seja mantida. A única dúvida, se é que há uma, é no meio-campo.

Contra a Cobra Coral, Wendel entrou no setor e deu conta do recado. Foi elogiado pelo comandante. Renan Oliveira, que foi acionado no decorrer da partida, também fez bom clássico. E ainda há Ananias, que retorna de lesão no joelho. Qualquer dos três pode assumir a vaga, de acordo com o técnico Eduardo Baptista. “Vou levar a dúvida até a hora do jogo”, declarou.

O Náutico não poderia nem empregar a máxima de que “não se mexe em time que ganha”. Até porque, volta e meia, um novo atleta alvirrubro se lesiona. O Timbu vem fazendo boa temporada. Contudo, encontrar um time ideal vem se mostrando uma tarefa mais árdua do que de costume. Não que sobrem jogadores de renome no elenco vermelho e branco. O que vem abalando mesmo o time comandado por Lisca são as contusões.

Como não poderia ser diferente, o problema reapareceu na final. Elicarlos, titular absoluto e capitão da equipe, foi vetado por causa de um desconforto na coxa esquerda. O centroavante Rodrigo Careca também ficará de fora. Já Marinho, uma das esperanças do Náutico para a final, está recuperado, porém, sua presença é incerta. A ideia da comissão técnica alvirrubra é resguardá-lo para o confronto da volta, quando, aí sim, espera-se que o atacante esteja 100% fisicamente.

O meio-campo sera o setor com mais mudanças. Yuri e Dê formam a dupla de volantes. Zé Mário, Marcos Vinícius e Leleu seriam os responsáveis pela armação. Na frente, apenas Paulo Júnior. Mais uma vez, o Náutico entrará com uma escalação nunca utilizada até então.

Saiba mais

História – O retrospecto histórico é claramente favorável ao Sport. Leão e Timbu fizeram 16 finais de Campeonato Pernambucano ao longo dos 100 anos de Estadual. Ao todo, são dez triunfos rubro-negros contra seis alvirrubros. O recorte recente é ainda mais complicado para o Náutico. Desde 1968 – o último ano do hexa – que a equipe da Rosa e Silva não consegue passar pelo rival na final da competição.

Sport

Magrão; Patric, Ferron, Durval e Renê; Rodrigo Mancha, Ewerton Páscoa e Ailton; Wendel; Felipe Azevedo e Neto Baiano. Técnico: Eduardo Baptista

Náutico

Alessandro; Jackson, Flávio,Leonardo Luiz e Raí; Dê, Yuri, Zé Mário e  Marcos Vinicius; Leleu e Paulo Junior. Técnico: Lisca

 

Local: Ilha do Retiro (Recife).
Horário: 22h. Árbitro: Wilton Pereira Sampaio (GO). Assistentes: Elan Vieira de Souza e Wlademir de Souza Lins (Ambos de PE). Ingressos: R$ 40 (arquibancada) e R$ 20 (meia). Transmissão TV: Globo e Premiere FC.


Esquema de segurança para Sport x Náutico

O Clássico dos Clássicos de logo mais terá o maior efetivo de segurança do ano para um jogo de futebol no Estado. Ao todo, 826 policiais estarão trabalhando no planejamento da partida, marcada para as 22h. Em 2014, o maior número havia sido de 800 policiais, justamente no primeiro duelo entre Sport x Náutico, disputado em 23 de janeiro, também na Ilha do Retiro. Na partida de hoje, a área interna do estádio contará com a presença de 236 policiais – 194 do Batalhão de Choque e 42 da Companhia Independente de Policiamento com Cães (CIPCães). Na parte externa, 590 pessoas estarão de serviço, sendo 352 realizando patrulhamento ostensivo no entorno da Ilha do Retiro e mais 238 de outras unidades especializadas, como BPTran; RPMon, Rádio Patrulha; CIPMoto e GATI.

A operação ainda contará com motocicletas e viaturas ostensivas táticas, que trafegarão nas principais vias de acesso dos torcedores ao estádio (em especial a Avenida Abdias de Carvalho). Também haverá fiscalização nas áreas adjacentes, como Avenida Agamenon Magalhães e Conde da Boa Vista. Outros pontos que merecem atenção especial são os Terminais Integrados de

Passageiros e estações do metrô. “Tal medida tem sido realizada e minimizado ocorrências como vandalismo nos coletivos que circulam nas Região Metropolitana do Recife”, informou a assessoria da Polícia Militar de Pernambuco (PMPE).

Após o apito final do árbitro Wilton Sampaio, é a hora de cuidar da saída dos torcedores. Parte do policiamento interno irá se incorporar a equipes externas com o objetivo de reforçar os corredores que, segundo a PMPE, representam maior valor operacional. A operação terá o apoio de câmeras de videomonitoramento do CIODS e do helicóptero do Grupo Tático Aéreo.

Confira:

Entrada da torcida do Sport

Av. Abdias de Carvalho e Rua Tabaiares (próximo ao Sebrae)

Entrada da torcida do Náutico

Av. Prefeito Lima Castro (bilheterias do placar)

Policiamento

- 826 Policiais Militares

- 236 na área interna (194 do Batalhão de Choque e 42 da Companhia Independente de Policiamento com Cães)

- 590 na área externa (Rádio Patrulha, CIPMoto, BPtran, GATI)

- Fiscalização nas principais estações de metrô e terminais integrados de passageiros da Região Metropolitana

Fonte: Polícia Militar de Pernambuco (PMPE)


Sport fará homenagem a crianças com câncer

O Hospital de Câncer de Pernambuco (HCP), em parceria com o movimento Novo Jeito, promove nesta quarta-feira (16) uma ação solidária para a primeira partida da final do campeonato pernambucano, Sport e Náutico.

Os jogadores do Sport Club do Recife entrarão em campo com camisas comemorativas, com nomes de crianças internadas no HCP. A ação tem como objetivo  homenagear os pequenos pacientes de câncer e conscientizar a população para a importância da prevenção.

A partida acontece às 22 horas, na Ilha do Retiro.

Da assessoria do Hospital do Câncer de Pernambuco


“Del Nero será o maior presidente da história da CBF”

Com a bola toda? Presidente Evandro Carvalho teme mentalidade dos clubes na gestão Marco Polo Del Nero, seu amigo pessoal e futuro presidente da CBF. (Foto: Paullo Allmeida/Folha PE/Arquivo)

GUSTAVO LUCCHESI/BLOG DE PRIMEIRA

“Marco Polo Del Nero será o maior presidente que a CBF já teve. É o que tem a visão mais moderna e menos política, diferente dos antecessores”.

Essa afirmação do presidente da Federação Pernambucana de Futebol (FPF) Evandro Carvalho reforça bem aquela máxima popular de que “diga-me com quem andas que eu te direi quem és”.

No Rio de Janeiro para a eleição que irá aclamar o paulista Marco Polo Del Nero, 73 anos, como novo presidente da Confederação Brasileiro de Futebol (CBF), Evandro atendeu a reportagem do Blog de Primeira e, como de costume, não economizou nas declarações polêmicas.

A verdade é que o clima é de festa na Cidade Maravilhosa. Ao assistir de camarote a oposição tropeçar nas próprias pernas e se autodestruir em atuações patéticas de Andrés Sanchez e Francisco Noveletto, os presidentes de federações partidários da gestão Marin/Del Nero estão lá mais para confraternizar e costurar cargos do que pela formalidade de votar.

Um deles é o próprio Evandro Carvalho. “Não estou pensando nisso, mas se o Marcos Polo precisar e me convidar eu estarei sempre disposto a ajudar, como fiz sempre que fui solicitado por ele ou pelo presidente Marin”, esquivou-se Evandro.

O mandatário da FPF sempre propagou ser aliado de Marin e mais ainda de Marco Polo. E para os que o acompanham de perto nunca negou almejar cargos na CBF, apesar do mesmo negar que esteja com a cadeira garantida em algum cargo na CBF a partir de abril de 2015, quando seu amigo pessoal Marco Polo assume o poder da toda poderosa entidade.

A amizade de Evandro Carvalho e Marco Polo Del Nero teve início dez anos atrás, através da advocacia, já que os dois são advogados e dirigentes de futebol há um bom tempo. Apesar de afirmar ter uma excelente relação com Marin, Evandro não economiza elogios ao sucessor Del Nero.

Porém, os que pensam que o mandatário da FPF tem apenas a CBF como porta disponível para ser “promovido” se enganam. O leque é muito maior. Basta lembrar a “listinha” de cargos que Marco Polo Del Nero ocupa: presidente da Federação Paulista de Futebol, vice-presidente da CBF, membro do Comitê Executivo da Conmebol e nada mais nada menos do que da soberana Fifa.

O mandatário da Federação Pernambucana só vê um obstáculo que pode impedir o sucesso da futura gestão de Marco Polo Del Nero: a mentalidade dos clubes brasileiros. “É muito complicado mudar a mente dos dirigentes dos clubes. Eles agem como torcedores e esquecem a visão profissional e empreendedora que tem que se ter do negócio que é o futebol. Em Pernambuco mesmo choveu reclamações com arbitragem. Não pode ser assim. Tem que pensar menos como torcedor e ser mais profissional”, comentou Evandro.

Será que o erro principal está aí mesmo, na mentalidade dos clubes? Bom, só o futuro e o “maior presidente que a CBF já viu” para nos dizer.


Reação tão inteligente quanto estratégia de Vica

É melhor ter Natan uma vez a cada dois meses ou lucrar com uma negociação? (André Nery)

A reação dos cartolas do Santa Cruz ao interesse do Sport na contratação de Natan foi tão inteligente quanto à estratégia de Vica no clássico do último domingo.

O diretor de futebol Jomar Rocha classificou como antiética a proposta feita após o clássico. Não seria o contrário, não?

Se ela viesse na semana antes da partida, com Natan escalado no time, ela poderia ser classificada desta forma. Aliás, em outras oportunidades, o Sport fez isso. Neste caso, não.

O presidente Antônio Luiz Neto engrossou o coro do seu dirigente, jogando para a torcida e rebatendo a possibilidade de uma negociação como se estivesse disputando um clássico.

Diante da incapacidade do Santa Cruz resolver o problema crônico do seu prata da casa, o interesse do Sport deveria ser visto com uma luz no fim do túnel.

A questão é muito simples: é melhor ter Natan uma vez em campo a cada dois meses ou receber uma boa grana por parte dos direitos federativos do meia e ainda lucrar com eventuais transferências?

Tudo dependeria da forma como os tricolores negociariam uma possível transferência, cabendo inclusive cláusulas que impedissem Natan de enfrentar o Santa com a camisa rubro-negra.

A questão de Natan deveria ser encarada por viés mais profissional, com os interesses do clube vindo em primeiro, segundo e terceiro lugares. Mas não é assim que a banda toca.

 


CBF altera data de Sport x Chapecoense, pela Série A

RAMON ANDRADE/FOLHA PE

A Confederação Brasileira de Futebol anunciou uma mudança na tabela da Série A envolvendo o Sport. Válido pela segunda rodada da competição, o duelo entre o Leão e a Chapecoense, que estava marcado para o sábado, dia 26 de abril, foi adiado para o domingo (27).

O local (Ilha do Retiro) e horário (18h30) seguem sem modificações. A mudança aconteceu para evitar encontro entre torcidas rivais, já que o Náutico vai receber o Vila Nova no sábado, pela Série B, na Arena Pernambuco.