Capa do Livro "Revela-te, Chico - Uma fotobiografia"
Capa do Livro "Revela-te, Chico - Uma fotobiografia"Foto: Reprodução

Página 43. O fundo branco de margem preta, onde um retrato em branco e preto está milimetricamente centralizado, tem a capacidade visual de sugerir o passado. Na fotografia, a criança Francisco Buarque de Hollanda, de camisa branca e gravata preta. Teria, momentos antes, Maria Amélia Buarque de Hollanda penteado o cabelo de um impaciente Francisco? “Revela-te, Chico”, uma fotobiografia organizada pelo designer e jornalista Augusto Lins Soares, não responde a esta questão. Pode não responder a outras. Não há necessidades. Mas o fato de perguntas, assim, passearem pela mente a cada nova página de fotografias, das 210 que compõem o livro, se deve ao caráter íntimo que a obra se propõe, e alcança.

Página 81. De shorts, camisa quadriculada e cigarro na mão, Chico observa os ensaios da peça "Roda Viva" (1968) - a primeira escrita pelo artista. Àquele instante não revelava mais o Chico criança, que tirava boas notas e se divertia na sala de aula. Não era também o adolescente, que chegou a ser fichado e citado no jornal Última Hora, de olhos tarjados e com as siglas FBH, após o furto de um carro. Este Chico já havia trocado a faculdade de Arquitetura pelo violão. Gravado a primeira música e vencido festivais. O momento capturado nos ensaios de "Roda Viva" não é exclusivo. Boa parte das saborosas histórias reveladas no livro, contadas pelo curador, escritor e jornalista Joaquim Ferreira dos Santos, são também ilustradas por esses instantes da vida.

Juntar todos os frames dos bastidores da vida de Chico Buarque foi um processo de garimpagem que levou dois anos, e fez o pernambucano Augusto Lins Soares mergulhar em um universo de 20 mil imagens até chegar as 210 selecionadas. Como fonte, o autor utilizou acervos de fotógrafos, jornais, revistas, sites, blogs, o Museu da Imagem e do Som e os Institutos Moreira Salles e Antônio Carlos Jobim. Pelo livro de 240 páginas, se espalham imagens assinadas por mais de 50 fotógrafos. Para a obra, Chico cedeu o direito de uso de sua imagem. “O critério de seleção para cada imagem sempre foi a soma dessas qualidades: registro histórico, apuro estético e memória afetiva”, afirma Augusto. “Mostrar Chico na sua diversidade sempre foi a intenção do projeto. Ele é múltiplo como artista, personalidade, cidadão ... E isso foi determinante desde o início. É um projeto documental e afetivo sobre um dos maiores ícones da cultural brasileira”.

Leia também:
'Palavra de mulher' traz o universo feminino composto por Chico Buarque
'Caravanas', de Chico Buarque, ganha Grammy Latino em duas categorias; Mundo Bita não vence 

Página 164. Prestes a abraçar Dom Hélder Câmara, em um encontro reservado, Chico inclina-se e ambos trocam sorrisos. Neste último e raro registro não é possível ouvir o compositor cantarolar alguns versos de A Banda, enquanto Dom Hélder o seguia, mexendo os braços como quem rege uma bandinha. Era junho de 1999 - um mês antes da morte Câmara. Entre o material raro, a fotobiografia também apresenta um retrato de Chico feito por Cristiano Mascaro, em Roma, em 1969, durante o autoexílio do artista; e Chico ao lado de João Cabral de Melo Neto, Gilberto Gil e Affonso Romano de Sant´Anna, na Expoesia, em 1973; e até Chico com seu ídolo do futebol, Pagão, em 1984 - citado no verso de “O Futebol” (1989) tabelando com Mané, Didi, Pelé e Canhoteiro.

Página 193. Cercado por um mosaico modernista aparece Chico, de pincelados olhos claros. A imagem, inédita, foi um presente do pintor Di Cavalvanti, em 1972. Nunca antes divulgada, a obra abre uma seção especial do livro reunindo 22 outros trabalhos de artistas contemporâneos, criados especialmente para o projeto. “Minha visão de fotobiografia sempre foi contemplar e valorizar várias linguagens visuais na concepção do projeto. Sendo assim, desde o início, além de ter a participação de inúmeros fotógrafos de várias gerações, tive a ideia de convidar alguns artistas plásticos para fechar o livro com retratos feitos especialmente para a obra, agregando mais contemporaneidade e exclusividade ao projeto. O resultado é um painel multiartístico sobre Chico e sua obra. O único briefing que passei foi: 'um retrato de Chico'”, contextualiza.

Serviço:
Livro
Título: Revela-te, Chico
Organização: Augusto Lins Soares
Textos biográficos: Joaquim Ferreira dos Santos
Páginas: 240/ Formato: 23 x 31 cm
Preço: R$ 145
Editora: Bem-Te-Vi Produções Literárias

Capa do Livro "Revela-te, Chico - Uma fotobiografia"
Capa do Livro "Revela-te, Chico - Uma fotobiografia"Foto: Reprodução
Imagem da obra "Revela-te, Chico - Uma fotobigrafia"
Imagem da obra "Revela-te, Chico - Uma fotobigrafia"Foto: Acervo Instituto Antonio Carlos Jobim
Imagem da obra "Revela-te, Chico - Uma fotobigrafia"
Imagem da obra "Revela-te, Chico - Uma fotobigrafia"Foto: Paulo Garcez
Imagem da obra "Revela-te, Chico - Uma fotobigrafia"
Imagem da obra "Revela-te, Chico - Uma fotobigrafia"Foto: Adhemar Veneziano
Imagem da obra "Revela-te, Chico - Uma fotobigrafia"
Imagem da obra "Revela-te, Chico - Uma fotobigrafia"Foto: Bruna Finelli
Imagem da obra "Revela-te, Chico - Uma fotobigrafia"
Imagem da obra "Revela-te, Chico - Uma fotobigrafia"Foto: Joao Farkas
Imagem da obra "Revela-te, Chico - Uma fotobigrafia"
Imagem da obra "Revela-te, Chico - Uma fotobigrafia"Foto: Daryan Dornelles

veja também

comentários

comece o dia bem informado: