Bê-a-bá Gourmet

Vanessa Lins

ver colunas anteriores
Vanessa Lins
Vanessa LinsFoto: Felipe Ribeiro

A pernambucana Ekäut está com planos bastante positivos para 2018. Com a planta, no bairro da Guabiraba, em expansão, a meta dos sócios fundadores Diogo Chiaradia, André Turton e Burno Paes, mais um grupo de novos investidores, é de saltar a quantidade de litros produzidos por mês de 30 mil para 90 mil até o fim do ano. Em um segundo momento, os rapazes querem chegar aos 200 mil/mês.

O aumento da produção, porém, não significa que o trio queira uma pulverização da distribuição. Hoje, a marca de cervejas especiais é forte em Pernambuco e tem poucos pontos de venda tanto no Nordeste como no Sudeste. Querem, sim, atingir de forma mais massiva as cidades de Salvador e Fortaleza, e ocuparem mais os momentos de consumo dos pernambucanos. É aí que entra a nova estratégia: as brejas da marca vão ganhar versão long neck, dessa forma, aumenta a mobilidade da bebida - pode estar em shows, festas de rua, porque são mais fáceis de carregar e, em menor quantidade, pode-se beber mais rápido e não dá tempo de esquentar.

Até dezembro, Diogo adianta que haverá mais três rótulos além do portfólio atual com apa, ipa, witbier, coffee stout, extra stout, munich helles e czech pilsener. Ele dá uma pista sobre os novos produtos. Haverá algo com frutas tropicais, um desafio da cervejaria há tempos, e alguma envelhecida em madeira - o que mostra que o time da cervejaria está de olho no que rola no mercado, brejas envelhecidas surgem como tendência no setor. Em tempo. O estilo e o processo criativo das cervejas da Ekäut continuam sendo definidos pelos sócios, mas a casa arrematou a consultoria de Paulo Schiavetto, que responde pelos alinhavos técnicos e de processos.

Chocolate com vinho, pode?
No que depender do enólogo Ricardo Morari, da Cooperativa Garibaldi, no RS, a combinação é totalmente possível. E dá as dicas para não errar na harmonização de alimentos tão distintos, se liga: chocolates brancos combinam com espumantes moscatel ou moscatel rosé, o chocolate ao leite cai bem com borbulhas demi-sec ou prosecco, os meio amargos pedem vinho branco de uva chardonnay e os amargos puxam espumantes brut ou extra brut. Vale quebrar paradigmas, hein?

Os mais pedidos
Os bolos mais vendidos na Cake & Bake, das sócias Joana e Paula Ardanza, são os de leite Ninho com Nutella e o de chocolate belga. Mas o red velvet, o famoso bolo vermelho, um estretante no cardápio da boleria, tem rendido elogios. A massa fofinha leva pedaços de frutas vermelhas e cream cheese frosting.   

veja também

comentários

comece o dia bem informado: