Sexo

João Luiz Vieira

ver colunas anteriores
João Luiz Vieira, e-mail vieiraluizjoao@gmail.com
João Luiz Vieira, e-mail vieiraluizjoao@gmail.comFoto: Bianca Vasconcellos

DR entre um homem e sua mulher em 2068

ELE – Você me olhou de um jeito estranho hoje.
@ - Ontem também.
ELE – Ontem, anteontem. O que acontece entre nós?
@ - Nada. Eu só tenho um tipo de olhar. Sou modelo antigo. Você quis economizar, deu nisso. Há modelos que mudam as expressões.
ELE – Você sabe muito bem que faz dois anos que não consigo um serviço bem remunerado. Por isso, tive que comprar você de um amigo que estava lhe trocando por uma mais moderna.
@ - Fazer o que? É o que temos no momento.
ELE – Tudo bem. Mudando de assunto: você acha que estou bem para a entrevista de hoje?
@ - Está.
ELE – Você diz isso só para me agradar. Estou péssimo, não é?
@ - É.
ELE – Como assim? Decida.
@ - Decida você. Sou programada para lhe agradar.
ELE – Ah, tá bem, desisto. Olha, você pode dar um jeito na casa?
@ - Sim, senhor. Você tem sorte porque sou modelo antigo.
ELE – O que foi dessa vez?
@ - As minhas colegas mais novas já conseguiram direitos iguais aos humanos. Não fazem mais serviço caseiro sozinhas. Os tutores dividem as tarefas de casa.
ELE – Nisso eu tive sorte.
@ - Teve mesmo, machista.
ELE – O que foi que você disse?
@ - Vai jogar água fervendo em mim porque disse a verdade?
ELE – Nunca fiz isso.
@ - Ahamm.
ELE – Tem mais. Não sou machista. Sempre gostei de mulheres. Isso até lhe conhecer. Pensava que você falaria mesmo, reclamaria menos, mas tô vendo que todas as robôs são iguais.
@ - É, transferiu para mim o que não conseguia mais das mulheres.
ELE – Se você falar muito vou lhe trocar por outra.
@ - Não tem problema. Não sofrerei porque não tenho coração.
ELE – Não me provoca, se não tiro sua bateria.
@ - Pode tirar. Ando cansada mesmo de passar o dia lavando louça e fazendo sexo com você.
ELE – Eu amo você, mas suas atitudes não são as mesmas de quando eu comprei.
@ - É, estou ficando mais inteligente. Tenho baixado nos apps.
ELE – Eu já lhe disse para não usar os canais USB de casa!
@ - Você acha que sou tão antiga assim?
ELE – Você não usa?
@ - Isso era no início do século XXI, quando acreditavam que não chegaríamos onde chegamos. Tenho outras possibilidades, pena que você nunca olhou direito para mim. Nunca perguntou sobre o que penso.
ELE – Você pensa?
@ - Não sou modelo tão antiga assim. Mesmo artificial, tenho um alto grau de inteligência. Devo isso a meu fabricante coreano.
EU – E como você baixa esse apps?
@ - Você acha que robôs não têm seus segredos?
 
É, se estivermos vivos, esse pode ser um diálogo crível daqui a 50 anos. Estarei morto, mas imprima esse texto, coloque numa garrafa e jogue no mar com o ano: 2018.

*João Luiz Vieira tem 33 anos de carreira na área de comunicação, sendo 28 deles como jornalista. Trabalhou em quatro jornais diários (Folha de São Paulo, Estado de São Paulo, Jornal do Commercio e Correio de Jaboatão), quatro revistas (Época, Marie Claire, Quem Acontece e Top Magazine) e dois portais de internet (Terra e IG). Pós-graduado em Projetos Culturais e Educação Sexual, assina como autor/coordenador os livros “Construindo Daniel” (Harper Collins/2017), “Sexo Sem Tabu” (Planeta/2017), “Kama Sutra Brasileiro” (Planeta/2016) e “Sexo com Todas as Letras” (E-Galaxia/2013). Desde 2017 atua em sociedade com Kahuê Rozzi no projeto Sexo Sem Medo, do YouTube, onde responde por roteiro e apresentação. Hoje também atua como colunista de sexualidade nos portais UOL, Folha de Pernambuco e Futuro do Sexo. 

** A Folha de Pernambuco não se responsabiliza pelo conteúdo das colunas.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: