Gregorio Duvivier, Maria Ribeiro e Xico Sá representam uma das cenas literárias da atualidade
Gregorio Duvivier, Maria Ribeiro e Xico Sá representam uma das cenas literárias da atualidadeFoto: Roberto Pontes/Divulgação

Já é clichê dizer que o brasileiro não lê e apontar a pesquisa "Retratos da Leitura", realizada pelo Instituto Pró-Livro, que mostra 65% dos brasileiros a dizer nunca ter ido a uma biblioteca. A história continua: a média de livros lidos, por ano, é 4,96 e 30% dos entrevistados admitem não comprar livros.

Pois bem, três autores e representantes da atual cena literária-jornalística brasileira se uniram para tentar mudar o cenário: eis que entram Maria Ribeiro, Gregorio Duvivier e Xico Sá no encontro "Você é o que lê", bate-papo gratuito que rodou o País e chega nesta quinta-feira (7), às 19h, no Marco Zero, na lateral do centro de artesanato.

Leia também:
Conheça a primeira mulher a receber o título máximo do Prêmio Pernambuco de Literatura
Britânico Kazuo Ishiguro vence o Nobel de Literatura
Literatura de Moacyr Scliar vai além do judaísmo, dizem escritores

"Quem se apega apenas às estatísticas, pode até esmorecer, achar que não tem jeito - realmente, os índices de leitura são baixíssimos. Se a gente cair nessa, realmente não se alui, não sai do canto, não faz nada. O drama brasileiro matriz é a educação, mas quando lembro que nunca vi um livro dentro de casa, gente simples da roça, e mesmo assim virei um leitor, não desisto nem com a gota serena. Bastou um professor, de escola pública, ainda no Cariri, acender o candeeiro que iluminaria a 'livraiada' toda. Óbvio que o brasileiro lê pouco, mas isso não pode ser uma realidade que não se mexe, sou de uma esperança quixotesca, sempre", desenvolve o jornalista Xico Sá, que participa do projeto.

Nele, inclusive, os três nomes se juntam para discutir os livros e autores de forma dinâmica e criativa, apostando no prazer e na diversão. "A ideia é trazer a literatura para perto das pessoas. Ocupar as livrarias e os espaços não só com consumidores, mas com reflexão, com pessoas falando e pensando literatura de uma maneira despretensiosa. Não somos, nenhum de nós três, acadêmicos, e eu acho que nosso papo é próximo do leitor, já que nossos pontos de vista são também como leitores, trazendo nossas experiências com leitura para perto de todo mundo", explica Gregorio, ator e escritor.

O desafio de incentivar a cultura no Brasil não é fácil - afinal, já diz o nome, é um desafio. O que motiva os três leitores a discutir suas experiências é, puro e simples, o amor pela leitura, a certeza que, ao se apoiar nela, terão, para o resto da vida, uma companheira. "Eu acho que o desafio é mostrar que a leitura muda sua vida amanhã, a leitura é autoajuda. Você começa a ampliar sua visão de mundo, independentemente do estilo de livro que você lê - você pode ler livro de youtuber também, não precisa ser só Machado de Assis”, opina a atriz, escritora e diretora Maria Ribeiro, também integrante da equipe.



“O desafio, na verdade, é a escola, a educação de qualidade, professores bem remunerados, livros certos nas horas certas. Acho que é a pergunta de um milhão de dólares: a educação no Brasil”, comenta, lembrando que seu próprio amor pela leitura foi incentivado durante o colegial.

Se essa é a pergunta de um milhão, a seguinte vale dois: por que, afinal, o brasileiro não lê? "A falta de leitura do brasileiro é um projeto político. Um povo que não lê é um povo fácil de ser dominado. Eu acho que não é por acaso não, é um projeto muito bem-sucedido", critica Gregorio, já conhecido pelas alfinetadas políticas.
O encontro promete deixar as sementes da leitura plantadas na cabeça de cada um do público. A certeza vem do nome, da literatura como definição da própria pessoa. Xico Sá explica: "Tenho mais certezas no próximo livro que vou ler do que no próximo dia que vou existir".

Serviço:
“Você é o que lê”
Quando: Hoje, às 19h
Onde: Marco Zero (Av. Alfredo Lisboa, s/n)
Entrada gratuita

veja também

comentários

comece o dia bem informado: