Uma Série de Coisas

Fernando Martins

ver colunas anteriores
Série norueguesa "Lovleg" conta a história de adolescente tentando se encaixar em nova faculdade
Série norueguesa "Lovleg" conta a história de adolescente tentando se encaixar em nova faculdadeFoto: Divulgação

Há pouco mais de um ano, fãs da série “Skam” se despediam dos personagens favoritos que conquistaram o público jovem adulto. A produção norueguesa estreou em 2015 e abriu as portas de uma cultura até então pouco conhecida pelos maratoneiros de plantão. Até hoje as bandeiras levantadas pela série, como feminismo, amor próprio e gentileza, continuam sendo compartilhadas nas redes sociais. O sucesso foi tanto que “Skam” ganhou versões na França, Espanha, Estados Unidos, Itália, Alemanha e Holanda. Agora, a emissora NRK aposta em “Lovleg”, mais uma produção sobre questões adolescentes.

Embora parecidas, “Lovleg” e “Skam” não são continuação uma da outra, nem spin-off ou remake e, sim, uma tentativa da emissora de emplacar outra produção nativa pelo mundo. O ponto positivo nesse experimento é que ele acaba sendo mais uma fonte para quem curte sair da caixinha e assistir histórias sobre culturas diferentes. Um exemplo que deu certo são as produções espanholas que tem crescido consideravelmente na TV, como “La Casa de Papel”, “As Telefonistas” e a recente “Elite”, todas disponíveis no serviço de streaming Netflix.

Leia também:
Com saída precoce de protagonistas, séries tentam manter enredo e pecam na decisão do término
"The Purge" sugere como seria um governo liderado pela opressão e violência

Não é coerente afirmar se “Loveg” cumpre esse papel ou se terá tanto sucesso quanto a outra. Além de ter finalizado sua temporada neste mês, a nova série possui sua própria identidade e segue um caminho independente, se afastando – ainda que com elementos parecidos – da série de Julie Andem: com roteiro centrado não em um grupo de jovens, mas em uma única adolescente, chamada Gunnhild (Kristine Ryssdalsnes), que acaba de sair da casa dos pais, se mudar para uma república em Sandane, norte da Noruega, e ingressar na faculdade nova. Os 10 episódios da primeira temporada é inteiramente a tentativa da protagonista de se encaixar em um mundo até então diferente de suas raízes.

Não dá pra deixar de notar as referências à “Skam” quando “Loveleg” une duas amigas defendendo-se do popular da escola – este por acaso veste um casaco de irmandade – com discursos empoderados. Mesmo fazendo alusão à cena vivenciada por Noora (Josefine Pettersen) e Vilde (Ulrikke Falch), nunca é demais assistir meninas se impondo perante machistas, não é mesmo? As transições de cena já conhecidas pelo público também acontecem destacando dia e hora, além da rotina dos personagens serem evidenciadas em redes sociais e no site da emissora, onde é possível ver os episódios lançados.

Impossível não se encantar com as paisagens que as séries estrangeiras oferecem como cenário e “Lovleg” não decepciona nesse sentido, país onde a beleza é óbvia e impactante com suas montanhosas, florestas e lagos – um verdadeiro paraíso na natureza, como dá para conferir no pequeno teaser abaixo:



Lovleg” acaba por conquistar aqueles mais saudosos pela juventude que não volta e pelos amores e desamores da adolescência. É fácil se apegar e torcer para que Gunhild se encaixe e encontre seu próprio caminho. As relações que se estreitam com a personagem são construídas de forma bem particular, pulando de companhia em companhia, sempre com um aprendizado ao final, passeando por momentos sensíveis com a maioria das pessoas. O teor sexual abordado pela série, ainda que um pouco mais explícito que em “Skam”, segue discreto.

As mensagens motivacionais são um banho de autoestima e um exercício diário, como disse alguém em determinado momento da série: “você não pode amar os outros antes de amar a si mesmo”. Se você adora conhecer bandas diferentes, vai amar a trilha sonora de “Lovleg” que é, em sua maioria, composta por canções underground da Noruega. Conheça John Olav Nilsen & Nordsjøen, uma das bandas que toca na série:



*Fernando começou a assistir a séries de TV e streaming em 2009 e nunca mais parou. Atualmente ele acompanha mais de 200 produções e já assistiu mais de 6 mil episódios. A série mais assistida - a favorita - é 'Grey's Anatomy', à qual ele reassiste com qualquer pessoa que esteja disposta a começar uma maratona. Facebook: Uma série de Coisas. Instagram: @umaseriedecoisas. Twitter: @seriedecoisas_ Blog: Uma Série de Coisas.

*A Folha de Pernambuco não se responsabiliza pelo conteúdo das colunas.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: