Foram encontrados 26 resultados para "Outubro 2017":

Extra: supermercado faz parte do Grupo Pão de Açúcar, controlado pelo francês Casino
Extra: supermercado faz parte do Grupo Pão de Açúcar, controlado pelo francês CasinoFoto: Divulgação

O Extra está com 12 oportunidades de trabalho para operador de visual merchandising no Nordeste. As vagas são para Recife, Aracaju, Fortaleza, João Pessoa, Maceió, Natal, Salvador e Teresina. As inscrições vão até o dia 25 de novembro, no site, e para se candidatar à vaga, é necessário ter ensino médio completo. 

Leia também:
Rede de fast-food oferece 35 oportunidades de trabalho no Recife
Empresa de tecnologia abre 100 vagas no Recife
Loja de calçados disponibiliza 600 vagas temporárias


A escala de trabalho é de seis dias na semana, com início a partir das 14h. O profissional ficará responsável por garantir a correta exposição dos produtos e ambiente da loja, melhorar a experiência de compra dos clientes com apresentação das marcas e produtos na loja, além de definir critérios de aplicação de cores para tornar a experiência de compra mais atrativa.

 Além do salário, que não teve o valor divulgado, o profissional terá benefícios como seguro de vida, assistência médica e odontológica, extensão da licença maternidade, enxoval do bebê, cartão da mamãe, refeição no local de trabalho, vale alimentação, vale transporte, cartão multicheque, cooperativa de crédito e plano de carreira.

Para se inscrever, é necessário clicar em “veja nossas vagas” e pesquisar o cargo “operador de visual merchandising”. Após encontrar a vaga, o candidato deve preencher seus dados pessoais. Toda a comunicação com o candidato será feira por e-mail, por isso é importante ficar atento à caixa de entrada e lixo eletrônico após o cadastro.

Concurso
ConcursoFoto: Divulgação

A Divisão Especial de Repressão ao Crime Organizado (Deco) da Polícia Civil do Distrito Federal deflagrou na manhã desta segunda-feira (30) a segunda etapa da Operação Panoptes, com o objetivo de dar sequência às investigações para desarticular uma organização criminosa que fraudava concursos públicos no Distrito Federal e em Goiás.

Leia também:
Polícia Federal investiga fraudes em 14 concursos públicos
Polícia investiga fraude no concurso do TJPE


A primeira fase da operação foi deflagrada em agosto. De acordo com a polícia, estão sendo cumpridos cinco mandados de prisão preventiva, três de prisão temporária e oito de condução coercitiva. Também estão sendo feitas buscas em 16 endereços localizados em Goiânia e em cinco regiões do DF.

O nome da operação refere-se a um gigante de cem olhos da mitologia grega, em referência à necessidade de haver "muitos olhos para ficar atento às fraudes em concursos públicos".

MV
MVFoto: MV/Cortesia

A MV, empresa que desenvolve softwares de gestão para a saúde e que tem sede no Recife, está com inscrições abertas para dois programas de formação: o jovem técnico e o jovem consultor. Serão selecionados 50 jovens para cada programa. A maioria das vagas são para a unidade da MV no Recife, mas há também vagas para as filiais em outras cidades do Brasil.

Leia também
MV debaterá importância da TI na saúde

A inscrição para o processo seletivo do jovem técnico é até dia 2 de novembro. Já para o programa jovem consultor, o prazo se estende até o dia 9 de novembro. O objetivo dos programas é atrair e formar pessoas que desejam construir uma carreira no segmento de saúde e identificar novos talentos para atuar na empresa brasileira.

Os interessados em participar do processo seletivo para o programa jovem técnico devem ter entre 18 e 25 anos, ensino médio completo ou superior (cursando ou concluído no último ano) na área de tecnologia. Para as vagas de consultor, os interessados devem ter graduação concluída ou cursando o último semestre da faculdade nos seguintes cursos: administração de empresas, contabilidade, ciências da computação, sistemas da informação, enfermagem, farmácia ou gestão em saúde.

Os interessados devem ter disponibilidade para viagens e conhecimento intermediário das ferramentas Office (Word, Excel e PowerPoint), Windows e uso da internet. Os jovens selecionados serão contratados e vão passar por treinamentos com início no dia 2 de janeiro de 2018. Os consultores serão treinados durante 15 dias, já técnicos durante dois meses, na sede da MV, na Imbiribeira, no Recife. 

Clique aqui para se inscrever no programa jovem técnico
Clique aqui para se inscrever no programa jovem consultor

TRF 5ª Região
TRF 5ª RegiãoFoto: Arquivo Folha

As inscrições, que terminariam nesta sexta-feira (27), para o concurso do Tribunal Regional Federal da 5ª Região (TRF), com jurisdição nos estados de Alagoas, Ceará, Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e Sergipe, foram prorrogadas até as 13h (horário do Recife) de 31 de outubro. São oferecidas 14 vagas e formação de cadastro de reserva de servidores para os níveis médio e superior.

Os salários variam de R$ 6.376,41 a R$ 10.461,90. Além disso, há mais R$ 884, referente ao auxílio-alimentação. A banca organizadora é a Fundação Carlos Chagas (FCC) e as inscrições serão feitas, exclusivamente, pela internet. As inscrições custam R$ 60,85 (técnico judiciário) e R$ 70,85 (analista judiciário). A seleção tem validade de dois anos, a contar da data da publicação da homologação do resultado final, podendo ser prorrogada por igual período.

Das 14 vagas, três são para o cargo de Analista Judiciário da Área Judiciária, em Pernambuco, sendo uma das vagas garantida a candidato negro. Duas vagas são para o cargo de Analista Judiciário Especialidade Informática/Infraestrutura, em Pernambuco e em Alagoas.

Duas vagas são para o cargo de Analista Judiciário Especialidade Medicina (Clínica Geral), em Pernambuco e no Ceará. E uma vaga para o cargo de Analista Judiciário Especialidade Contadoria, em Pernambuco.

Outras cinco vagas são para o cargo de Técnico Judiciário da área Administrativa em Pernambuco (2); Paraíba (2); e Rio Grande do Norte (1). Há, ainda, uma vaga para o cargo de Técnico Judiciário da área Administrativa Especialidade Segurança e Transporte para a Paraíba.

Leia também
TRF5 lança edital para concurso com salário de até R$ 10.461

Reitoria da UPE
Reitoria da UPEFoto: Peu Ricardo/Arquivo Folha

A Universidade de Pernambuco (UPE) abre, nesta sexta-feira (27), as inscrições para o concurso público com preenchimento de 108 vagas para professores. Os salários variam de R$ 2.791 a R$ 4.638. Os candidatos podem se inscrever, presencialmente, até o dia 27 de novembro. A taxa de inscrição é de R$ 210. Pessoas de baixa renda podem solicitar isenção. (Confira o edital aqui)

Das 108 vagas para professor, 12 são para auxiliar, 25 são para assistente e 71 são para adjunto. Os contratados irão atuar nos cursos de graduação e de pós-graduação dos campi da UPE em Petrolina, Garanhuns, Serra Talhada, Arcoverde, Salgueiro, Caruaru, Camaragibe (Fop), Matas Norte e Sul, Benfica (Poli e Fcap) e Santo Amaro (Esef, Fensg e FCM).

Os candidatos devem ter diplomas em curso de nível superior, com formação de pós-graduação com nível de especialização, residência, mestrado e doutorado, respectivamente, de acordo com o quantitativo de vagas distribuídas nas áreas constantes no edital do concurso.

O certame, que terá validade de dois anos podendo ser prorrogável por igual período, é composto de quatro etapas: prova escrita, de caráter eliminatório; prova didática, que será realizada através de aula expositiva, também de caráter eliminatório; prova do plano de trabalho, de caráter classificatório; e prova de títulos, constantes no currículo, de caráter classificatório.

As provas acontecem de fevereiro a março de 2018, de acordo com o cronograma definido por cada unidade. O resultado final do concurso está previsto para ser divulgado a partir do dia 30 de março de 2018.

As inscrições podem ser feitas nos endereços constantes do edital. A taxa deverá ser paga por meio de depósito bancário (Caixa Econômica Federal, Agência: 1584, Conta Corrente: 3214-3 – operação 003). 

Leia também
UPE concurso com 388 vagas com salários de até R$ 7.514,74

São ofertadas 35 vagas no total
São ofertadas 35 vagas no totalFoto: Reprodução/Google Street View

Os restaurantes do McDonald’s estão com 35 vagas abertas no Recife. Os candidatos precisam ser maiores de 18 anos e estarem cursando ou haver concluído o ensino médio. As vagas também são destinadas a pessoas com deficiência. Não é necessário ter experiência.

Os interessados devem enviar o currículo para vagas@maralco.com.br ou entregar em um dos restaurantes da rede. Entre os benefícios oferecidos pela empresa, estão alimentação no local, seguro de vida, assistência médica e odontológica, vale-transporte e plano de carreira. A rede não informou o salário.

Leia também:

Loja Esposende do Shopping Riomar
Loja Esposende do Shopping RiomarFoto: Divulgação

A Esposende Calçados está com 600 vagas abertas para vendedores temporários distribuídas nas suas lojas da Região Metropolitana do Recife. Os interessados em conseguir uma vaga durante esse período de aumento nas vendas do varejo, precisa ter 18 anos e ensino médio completo.

Não é necessário ter experiência para se candidatar e os currículos podem ser enviados para jp.paulina@terra.com.br. O candidato pode também acessar o Paqueta The Shoe Company e se inscrever na aba “Trabalhe Conosco”.

Leia também:
Crescem as vagas temporárias em Pernambuco
Azul anuncia 170 vagas em todo o País
Inscrições para seleção simplificada do Estado vão até esta segunda

Avião da Azul Linhas Aéreas
Avião da Azul Linhas AéreasFoto: Divulgação

A Azul Linhas Aéreas abriu 170 vagas para atuação em aeroporto de todo o País, sobretudo onde a companhia tem aumentado sua malha de voos e destinos. Do total de contratações, 90 delas são para vagas efetivas e, as demais, para atividades temporárias. O maior número de oportunidades é para o Recife, para Belém (PA) e para Campinas (SP). Há reforço também para as equipes que atuam em todas as capitais do Nordeste, além de cidades como Porto Seguro, Ilhéus, Fernando de Noronha e Florianópolis.

Para concorrer, é necessário preencher o currículo na página da companhia.

Leia também:
Azul anuncia novos voos internacionais e no Agreste
Azul dobra operações entre Recife e Orlando
Recife ganha mais três novos voos internacionais

“Estamos reforçando nossas equipes em locais onde a presença da Azul tem crescido de forma significativa, com mais opções de horários e destinos, nacionais e internacionais”, comenta Elisabete Antunes, diretora de Aeroportos da Azul. “Embora a maioria das contratações sejam efetivas, há também posições temporárias. Mas temos observado em experiências anteriores que, com o turnover natural dentro da empresa, grande parte dessas pessoas também acabam sendo efetivadas, o que é muito bom”, completa a Elisabete.

O concurso do TJPE é alvo de polêmica desde a primeira segunda-feira pós prova, quando candidatos denunciaram ter presenciado falhas na fiscalização e o descumprimento de itens do edital
O concurso do TJPE é alvo de polêmica desde a primeira segunda-feira pós prova, quando candidatos denunciaram ter presenciado falhas na fiscalização e o descumprimento de itens do editalFoto: Cortesia

O Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação (IBFC), banca organizadora do concurso do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE), negou qualquer evidência de fraude durante a aplicação das provas realizadas no último dia 15. Por meio de nota encaminhada nesta terça-feira (24), o IBFC afirma que o delegado Lucas Sá, da Delegacia de Defraudações e Falsificações de João Pessoa, na Paraíba, “falta com a verdade”.

A banca comenta que “nunca impediu qualquer investigação policial”, tendo “contribuído ativamente com todas as autoridades envolvidas”. Ainda, acusa o delegado Lucas de nunca ter solicitado “qualquer acesso aos locais de prova do concurso”. O IBFC afirmou ter “encaminhado, com dez dias de antecedência, ao delegado todas as informações acerca dos candidatos que já eram investigados".

Por fim, a organizadora diz que “mais de metade dos suspeitos nem mesmo compareceu no dia da avaliação”, prometendo tomar providências “contra toda e qualquer manifestação caluniosa” à banca.

Leia também
Polícia de PE deve começar, esta semana, a investigar fraude em concurso do TJPE


Delegado rebate

Procurado pela Folha de Pernambuco nesta terça, o delegado Lucas Sá disse “que há fortes indícios” de que houve fraude no certame. Um dos indícios é de que três suspeitos presos pela Operação Gabarito, realizada pela Polícia Civil da Paraíba (PCPB), estavam inscritos na prova.

“Ficou comprovado que a organização criminosa, investigada pela PCPB, havia negociado vagas para este concurso (do TJPE), pelo menos desde março de 2017”. As irregularidades na aplicação do teste estariam comprovadas por causa das “mais de 400 denúncias feitas ao Ministério Público”.

Sobre críticas a sua atuação, Lucas Sá nega qualquer tipo de sensacionalismo. “Não é nosso objetivo atuar de maneira sensacionalista. Se fosse, teríamos divulgado todos os arquivos”, rebateu. Segundo o delegado, foi analisado aproximadamente 14 mil arquivos digitais.

O concurso do TJPE é alvo de polêmica desde a primeira segunda-feira pós prova, quando candidatos denunciaram ter presenciado falhas na fiscalização e o descumprimento de itens do edital
O concurso do TJPE é alvo de polêmica desde a primeira segunda-feira pós prova, quando candidatos denunciaram ter presenciado falhas na fiscalização e o descumprimento de itens do editalFoto: Cortesia

A Polícia Civil da Paraíba deve repassar, ainda nesta semana, informações que viabilizem a abertura de um inquérito, por parte da Polícia Civil de Pernambuco, sobre um suposto esquema de fraude no concurso público do Tribunal de Justiça (TJPE), realizado no último dia 15 com a presença de mais de 129 mil candidatos.

Apesar de o certame ter ocorrido no Recife e em outras regiões do Estado, as investigações vinham acontecendo em João Pessoa pelo fato de lá ter sido descoberta uma organização criminosa que comercializava gabaritos de provas para ingresso em órgãos públicos. Até agora, suspeita-se que três integrantes dessa quadrilha, pelo menos um deles morador de Pernambuco, chegaram a se inscrever na seleção. Nenhum foi preso.

As investigações avançaram com a descoberta de mensagens trocadas pelo WhatsApp entre janeiro e março deste ano e que indicaram a intenção dos suspeitos de fraudar o concurso. Nas conversas, divulgadas pela Polícia Civil da Paraíba e publicadas no Portal FolhaPE, um homem identificado como Thiago Leão aparece se comunicando com Flávio Luciano Nascimento Borges, apontado como um dos líderes da organização criminosa. Em um trecho, um deles aparece dizendo que o cúmplice pode conseguir 40 interessados em pagar pelas respostas das provas, e o interlocutor afirma que vai "trabalhar para isso" e que precisa "comprar mais equipamentos", provavelmente, pontos eletrônicos.

Ouça o áudio:



Leia também:
Polícia investiga fraude no concurso do TJPE


Em outra parte da conversa, gabaritos são comercializados por R$ 2,2 mil. O interlocutor pergunta se, na hora do acerto, pode levar outro homem. É Jamerson Hesídio, também indicado como suspeito e como candidato do concurso do TJPE no último dia 15. Além dele, teria participado do certame uma mulher identificada como Poliane Alencar, também suspeita de integrar a organização criminosa. Os dois e Thiago Leão haviam sido presos pela Operação Gabarito, da Polícia Civil paraibana, mas receberam habeas corpus há um mês e conseguiram se inscrever no certame. Thiago também já era investigado por uma suposta fraude no concurso da Guarda Municipal do Recife em 2015.



Os problemas no concurso do TJPE vieram à tona na semana passada, quando candidatos reclamaram de falhas na fiscalização durante a realização das provas. O delegado Lucas Sá, da Delegacia de Defraudações e Falsificações da Polícia Civil em João Pessoa, disse que houve uma tentativa de interceptar os suspeitos no dia do certame, mas que a organizadora, Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação (IBFC), não permitiu a ação. "Faltou a colaboração da empresa. O que podemos fazer, agora, é aguardar e ver se alguma dessas pessoas cujos nomes já temos confirmados aparece na lista [de aprovados]. E vamos passar toda a documentação para a Polícia Civil daí [de Pernambuco] dar sequências às investigações", explicou.

Ontem, em entrevista a um site especializado em concursos, o presidente da empresa organizadora, Alexandre Faraco, garantiu que, dos três suspeitos, só a mulher fez a prova e que nenhum objeto ilícito foi achado. Ele também garantiu que o certame não será anulado. Já o TJPE afirmou à Folha de Pernambuco que ainda não foi acionado formalmente pela polícia sobre as investigações. A chefia da Polícia Civil de Pernambuco informou que, se o caso for direcionado a Recife, ficará a cargo da equipe da Delegacia de Crimes contra a Administração e Serviços Públicos (Decasp), mas destacou que ainda não recebeu nenhuma informação oficial por parte da corporação do estado vizinho.

comece o dia bem informado: