Professor e consultor na área de projetos Maurício Landwoigt
Professor e consultor na área de projetos Maurício LandwoigtFoto: Divulgação

Ser gerente de uma equipe de uma empresa exige mais do que espírito de liderança. No mercado de trabalho atual, ter uma qualificação no currículo é primordial para quem pretende ocupar cargos de gestão. E quando o assunto é gerenciar projetos, certificações como a credencial de Profissional de Gerenciamento de Projetos (Project Management Professional - PMP) podem fazer toda a diferença. "Com a crise financeira, é necessário estudar bem um projeto antes de começar, diminuir riscos e evitar gastos excessivos", conta o professor e consultor na área de projetos Maurício Landwoigt, que irá ministrar curso de preparação para o PMP no Recife no fim deste mês.

A certificação PMP, uma das oferecidas pelo Instituto de Gerenciamento de Projetos (Project Management Institute - PMI), da Pensilvânia, nos Estados Unidos, reconhece internacionalmente a competência de um profissional para desempenhar a função de liderar e conduzir projetos. No Brasil, é mais requisitada nas áreas de Tecnologia da Informação, administração, engenharia, arquitetura e economia. Mas, para Landwoigt, todo profissional deveria ter o PMP no currículo. "É uma grande oportunidade, antes de mais nada, de o profissional se habilitar dentro de uma área cada vez mais crescente, devido à velocidade que os negócios exigem", ressalta.

No curso preparatório que começará no dia 25 de agosto e seguirá até o dia 29 de setembro, Landwoigt irá revisar e aprofundar os conceitos do guia Project Management Body of Knowledge (PMBOK), passando por técnicas e orientações sobre ética e responsabilidade social, e treinar simulados, para os alunos irem se adaptando ao padrão da prova americana. O curso tem carga horária de 60 horas e acontecerá às sextas e aos sábados na Faculdade Facipe, no bairro da Soledade, área central do Recife. As inscrições podem ser feitas pelo site da Êxito Educacional, que promove o curso, até o dia 23 de agosto.

A preparação com um especialista antes da realização da prova pode ajudar a orientar o profissional. "A vantagem do curso é o direcionamento. Como a prova envolve uma grande quantidade de informações, facilita desenvolver o raciocínio mais rapidamente do que estudando por conta própria", diz o gerente de projetos da Stefanini, no Porto Digital do Recife, José Correia Neto.

José Neto realizou a prova do PMP em 2005, quando, segundo ele, a certificação ainda não era um requisito profissional tão exigido. "Na época, o PMP era como algo 'a mais'. Hoje em dia, tem algumas vagas do mercado que exigem o PMP. Então, além de abrir portas, é um requisito em alguns casos", conta.

Além de gerar oportunidades, ter o PMP também pode significar salários mais altos. De acordo com a Pesquisa Salarial de Gerenciamento de Projetos de 2018 do PMI, que analisou dados salariais de mais de 33 mil profissionais, quem possui a certificação tem salários médios 23% mais altos que aqueles sem certificação entre os 37 países pesquisados.

Prova
Como toda certificação internacional, é necessário dedicação aos estudos. Para obter o PMP, o profissional precisa fazer uma prova com 200 questões em quatro horas, que mede conhecimento e experiência profissional. As questões são baseadas no guia Project Management Body of Knowledge (PMBOK), do PMI, que reúne as melhores práticas de gerenciamento de projetos. "Essa certificação exige muito do profissional, mas é muito interessante porque, quando aprovado nos requisitos do PMI, o profissional passa a fazer parte de um elenco de um banco de dados mundial de quem possui a certificação", explica o consultor.

Para se candidatar à certificação, é necessário ter formação de quatro anos em bacharelado ou equivalente, mínimo de três anos de experiência em gerenciamento de projetos, 4.500 horas de liderança e direção de projetos e 35 horas de formação em gerenciamento de projetos. Também pode se candidatar quem tem diploma de ensino médio com, no mínimo, cinco anos de experiência em gerenciamento de projetos, 7.500 horas de liderança e direção de projetos e 35 horas de formação em gerenciamento de projetos.

Hoje, a prova pode ser feita em português, mas Landwoigt alerta que é necessário ficar atento à tradução. “Nem sempre a tradução representa o entendimento correto,” diz. O exame é presencial e é realizado em empresas habilitadas. No Recife, a prova é feita no prédio do curso ABA, no bairro dos Aflitos, na Zona Norte. Para se inscrever, é necessário se cadastrar no site do Project Management Institute (PMI) e cumprir todo o processo online.

O PMP tem validade de 3 anos. Para renová-lo, o PMI solicita comprovação de que o profissional trabalha na área e está desenvolvendo atividades de gestão no modelo da certificação.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: