Desenvolvimento Sustentável

Renato Raposo

ver colunas anteriores
Secretário-geral da ONU, António Guterres
Secretário-geral da ONU, António GuterresFoto: ONU/Evan Schneider

O Dia Internacional de Direitos Humanos é comemorado em 10 de dezembro, dia em que, em 1948, a Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) adotou a Declaração Universal dos Direitos Humanos (DUDH), que completou 69 anos nesse último domingo. A data dá início às comemorações da efeméride de 70 anos, que se prolongarão ao longo de todo 2018. Mas nem tudo são flores.

Em comunicado distribuído no sábado passado, o alto comissário das Nações Unidas para os Direitos Humanos, Zeid Ra’ad Al Hussein, afirmou que “a universalidade dos direitos está sendo contestada em boa parte do mundo, e tem enfrentado intenso ataque por parte de terroristas, líderes autoritários e populistas”.

Referindo-se ao fato de a Declaração Universal dos Direitos Humanos ter sido redigida ainda sob o impacto do trauma causado pelas atrocidades do regime nazista, ele afirmou que, à medida em que a II Guerra Mundial e o Holocausto vão se tornando passado distante, “o enorme progresso alcançado através da promulgação progressiva dos princípios de direitos humanos, conforme estabelecido na Declaração Universal, está sendo cada vez mais esquecido ou deliberadamente ignorado”.

Al Hussein é conhecido por suas posições duras. Em setembro de 2016, em discurso na Corte Internacional de Justiça, em Haia, durante a cerimônia de lançamento da Fundação de Paz, Justiça e Segurança, criticou fortemente o que chamou de "populistas e demagogos", dentre os quais o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump; o nacionalista holandês Geert Wilders; o primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orba; a líder da extrema-direita da França, Marine Le Pen; e Nigel Farage, ex-líder do principal partido anti-imigração do Reino Unido. O vídeo está abaixo:


Também no domingo, a comemoração do Dia Internacional dos Direitos Humanos foi lembrada por um outro líder: o papa Francisco. Após sua oração semanal de Angelus, o papa disse para uma Praça de São Pedro lotada de fiéis: “Hoje será entregue o Prêmio Nobel da Paz à Campanha Internacional para Abolição de Armas Nucleares. Este reconhecimento coincide com o Dia das Nações Unidas para os Direitos Humanos e isto demonstra o forte vínculo entre os direitos humanos e o desarmamento nuclear”, aludindo a escalada de tensão entre Coreia do Norte e Estados Unidos.

Mas o fato que mais me chamou atenção foi a notícia, amplamente publicada pela mídia internacional, de que pilotos alemães estão sistematicamente se recusando a decolar aviões que têm a bordo refugiados em busca de asilo que estão sendo deportados para o Afeganistão. Há um pouco mais de 70 anos, os condutores de trens responsáveis pelo transporte de prisioneiros para Auschwitz não lançaram mão do seu livre arbítrio para questionar as ordens que receberam.

A expansão dessa consciência deve ser creditada à Declaração Universais de Direitos Humanos. Como lembra Zeid Ra’ad Al Hussein, [a DUDH] “foi elaborada para cobrir não só os direitos civis e políticos, mas também os direitos sociais, econômicos e culturais, pelo entendimento de que não pode haver desenvolvimento sem direitos humanos e não pode haver pleno gozo dos direitos humanos sem desenvolvimento - e a paz e a segurança dependem de ambos”.

Direitos humanos, segurança, paz e desenvolvimento sustentável. Temas mais que atuais no mundo e no Brasil de hoje.

Apoie os Direitos Humanos. Adicione sua voz!

Em uma campanha de vídeo multilíngue, lançada em agosto, a ONU convida cidadãos de todo o mundo para gravar um vídeo lendo um dos artigos do Declaração na sua língua materna. Cidadãos de 72 países já enviaram 242 vídeos, em 54 idiomas, que você pode conferir aqui na página da campanha.

* Renato Raposo escreve semanalmente para o Portal FolhaPE. Ele é consultor de comunicação, atua com foco em transparência e responsabilidade social corporativa e é empreendedor cívico na Rede de Ação Política pela Sustentabilidade (RAPS).

** A Folha de Pernambuco não se responsabiliza pelo conteúdo das colunas.  

veja também

comentários

comece o dia bem informado: