Diplomacia Econômica

Rainier Michael

ver colunas anteriores
Rainier Michael, Cônsul da Eslovênia
Rainier Michael, Cônsul da EslovêniaFoto: Rafael Furtado/Folha de Pernambuco

Qual a sua interpretação olhando a foto abaixo? Ela representa um real momento de tensão ou apenas uma foto estratégica? Mesmo que o registro não represente o sentimento dominante daquele exato momento, a troca de farpas foi destaque nos noticiários a respeito da reunião do G7.

Aliados históricos deixaram evidente a falta de alinhamento nos objetivos em que, normalmente, teriam consenso. O mais preocupante é que este clima de tensão já existia antes da reunião de cúpula no Canadá. Este tipo de situação não é aceitável dentro da diplomacia, pois esta existe exatamente para que as diferenças sejam tratadas de forma cortês e dentro de um âmbito não público, evitando assim, desgastes e conflitos interpessoais desnecessários, principalmente, entre as nações.

Donald Trump e Angela Merkel no G7 Summit

Donald Trump e Angela Merkel no G7 Summit - Crédito: Divulgação


Não quero aqui entrar na questão do mérito das sobretaxas sobre o aço e o alumínio, recentemente anunciadas pelos EUA para os aliados Canadá, México e EU, bem como o uso da cúpula para exigir melhores acordos comerciais com os EUA.
Uma guerra comercial não será produtiva para nenhum país e muito menos para a população envolvida.

Ao mesmo tempo, lembro de negociações como da EU com Mercosul que fará 20 anos! Até hoje, sem finalização. A disrupção chega para todas as entidades e pessoas, querendo ou não. Precisamos de mais negociadores, mais diplomatas e menos “Avengers”.

*Empresário há 35 anos e Presidente do Iperid (primeiro THINK TANK do Nordeste) – Instituto de Pesquisa Estratégica em Relações Internacionais e Diplomacia, Rainier Michael tem ampla experiência em trocas internacionais. O trabalho realizado por ele junto ao consulado esloveno, e designado “Diplomacia Econômica”, interpreta sob uma visão humana o desenvolvimento e o crescimento do Nordeste. Paulista de nascença, Michael se mudou para Pernambuco há dez anos, quando seus negócios no Estado cresceram de forma a tornar indispensável sua presença aqui. Seu comparecimento nos mercados pernambucanos, entretanto, é mais antigo do que isso. Antes de assumir o consulado, já era representante da DBG - Sociedade Brasil-Alemanha no Nordeste. É destacável, também, sua atuação enquanto presidente do Rotary Club Recife Boa Viagem. (colunadiplomacia@gmail.com)

* A Folha de Pernambuco não se responsabiliza pelo conteúdo das colunas.

 

veja também

comentários

comece o dia bem informado: