Diplomacia Econômica

Rainier Michael

ver colunas anteriores
Rainier Michael, Cônsul da Eslovênia
Rainier Michael, Cônsul da EslovêniaFoto: Rafael Furtado/Folha de Pernambuco

Em Branco... 2019

Ano Novo, Vida Nova. Quantas vezes já ouvimos esta frase?

Ao chegarmos ao final de mais um ano, recheado de momentos alegres e tristes, desafiadores e animadores, uma profunda reflexão se torna necessária para o ano que irá iniciar, em breve.

Será que nos tornamos melhores como seres humanos e indivíduos ao longo deste ano? Ou estamos deixando esta resolução para 2019?

Vivemos em um mundo complexo e plural com grandes desníveis sociais, impondo uma pressão em nosso meio ambiente sem precedentes.

Comentaristas, analistas, “blogueiros”, “youtubers”, “experts” e “influencers” estão por todos os lados criando uma complexa rede de informações que, em sua maioria, não passam de “aparições de cometa”: rápidas, visualmente impactantes, mas, na minha visão, em sua grande maioria, de pouco conteúdo sustentável.

Hoje os templos religiosos foram substituídos por grandes eventos multi-artísticos ou motivacionais, com palestrantes/atores messiânicos que ganham verdadeiras fortunas para um breve momento de “iluminação”. No final, a plateia pode adquirir o mais recente livro desse palestrante ou algum “serviço” transformador.

Uma geração solitária e depressiva que abriu mão da sua privacidade, que cada vez mais atrasa a saída da casa dos pais assim como a maternidade ou paternidade, vivendo no mundo “online”, aguardando os “Likes” ou quando ficará milionária criando um “app” milagroso.

Estamos na era da disruptura onde o comércio, vendas e a forma de se relacionar mudou completamente. Era isso o que queríamos?

Toda descrição acima não é fruto de minha imaginação, mas de reflexões de grandes pensadores atuais e antigos.

Muitos podem dizer que estou com a síndrome de quem atinge a marca dos 5.0. Será?

O que desejo para 2019? Simples. Vamos construir um mundo físico mais agregador. Não vamos criar barreiras antes de começar algo ou de alguém começar algo. Não precisa “estar na moda”, não precisa transgredir nem chocar. Vamos dar crédito e apoio, assim como fazemos com alguém que está começando um novo emprego ou uma nova função. Pequenas e grandes mudanças, não importa o tamanho, o mais importante é a direção. É verdadeiro, é bom, vai acrescentar, então vai lá. Nem precisa esperar o ano virar.

*Empresário há 35 anos e Presidente do Iperid (primeiro THINK TANK do Nordeste) – Instituto de Pesquisa Estratégica em Relações Internacionais e Diplomacia, Rainier Michael tem ampla experiência em trocas internacionais. O trabalho realizado por ele junto ao consulado esloveno, e designado “Diplomacia Econômica”, interpreta sob uma visão humana o desenvolvimento e o crescimento do Nordeste. Paulista de nascença, Michael se mudou para Pernambuco há dez anos, quando seus negócios no Estado cresceram de forma a tornar indispensável sua presença aqui. Seu comparecimento nos mercados pernambucanos, entretanto, é mais antigo do que isso. Antes de assumir o consulado, já era representante da DBG - Sociedade Brasil-Alemanha no Nordeste. É destacável, também, sua atuação enquanto presidente do Rotary Club Recife Boa Viagem. (colunadiplomacia@gmail.com

veja também

comentários

comece o dia bem informado: