Sobradinho
SobradinhoFoto: Chesf

Começam a valer hoje novas diretrizes para a operação do Sistema Hídrico do Rio São Francisco, que é formado pelos reservatórios de Três Marias (MG), Sobradinho (BA), Itaparica (BA/PE), Moxotó (AL), Paulo Afonso I, II, III e IV (BA) e Xingó (AL/SE). Com isso, após anos de menor defluência e volume útil de armazenamento por conta da estiagem, a barragem de Sobradinho, que abastece Pernambuco, volta a operar como no período pré-seca, favorecendo o Vale do São Francisco. A mudança na vazão foi possível em virtude da recuperação no armazenamento das barragens.

Leia também
Vazão de Sobradinho terá redução
Vazão da água atinge menor patamar em reservatórios do São Francisco

Em Sobradinho, a vazão diária hoje é de 800 metros cúbicos por segundo, 250 a mais que no período mais severo de seca. O aumento é acompanhado de um crescimento no volume útil da barragem, que fez até a sala de crise da Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf) se transformar em uma sala de acompanhamento. Segundo a Agência Nacional de Águas (ANA), o volume útil de Sobradinho teve alta de 13,73% nos últimos três meses. Com isso, chegou a 48,76% em 29 de abril. Para ter ideia, no auge da seca em 2015, a barragem chegou ao nível mínimo desde 2012 de 1,05%. No fim de 2018, estava em 35,03%.

"É um grande alívio, sobretudo para outros usos e para a manutenção dos ecossistemas", diz o presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do São Francisco (CBHSF), Anivaldo Miranda. A retomada no crescimento do volume útil significa também bons frutos para a produção agrícola na área, como a produção de uvas e mangas de Petrolina. “Estamos mais tranquilos quanto à retenção”, afirmou o presidente da Associação dos Produtores e Exportadores do Vale do São Francisco (Valexport), José Gualberto.

No caso de Sobradinho, serão estabelecidas três novas faixas de operação pela ANA. São elas: normal, quando o volume útil estiver acima de 60%; atenção, quando esse volme estiver entre 20% e 60%; e restrição, quando o volume for de até 20%. Na faixa de operação normal, a defluência mínima média diária será de 800m³/s. Na faixa de atenção, 800 m³/s será a liberação de Sobradinho e Xingó. Já na faixa de Restrição, será de 700m³/s em Sobradinho e Xingó. Nesta situação, a defluência média mensal será estabelecida pelo ONS a partir de recomendação da ANA e será limitada a 900m³/s.

O teto da vazão ficará limitado à curva de segurança de Sobradinho, tanto em Sobradinho quanto em Xingó. No período chuvoso, de dezembro a abril, a vazão estará limitada à curva de segurança. Já no período seco, de maio a novembro, será de 1.000m³/s. Como Sobradinho está com cerca de 50% de seu volume útil, o reservatório começará o período seco hoje, já com esta condição.

A ANA ainda prevê que, sempre que for preciso reduzir a vazão dos reservatórios abaixo de 800m³/s, a Chesf deverá informar o Ibama sobre a medida, além de realizar o monitoramento e a mitigação de eventuais impactos entre Sobradinho e a foz do Velho Chico.

Geração de energia já cresce no NE

A nova situação no Vale do São Francisco também favorece o setor energético. A expectativa do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) é que o nível de todos os lagos da bacia saia dos atuais 57% para 60% - percentual atingido pela última vez em janeiro de 2012 - já nas próximas semanas. E, com esse aumento no nível da água, as hidrelétricas da região já estão gerando mais energia do que em meses anteriores.

De acordo com o ONS, com a ampliação da vazão, as hidrelétricas do Nordeste geraram 2.011 megawatts (MW) médios em março. O número é cerca de 10% menor que o do mesmo mês de 2018, mas já mostra recuperação em relação ao volume do fim do ano passado, que variou de 1,5 mil a 1,7 mil MW.

O superintendente de Operações e Eventos Críticos da ANA, Joaquim Gondim, espera que as novas regras mantenham o ritmo de recuperação dos reservatórios e não descarta que as hidrelétricas do Nordeste voltem a verter água (quando os reservatórios estão cheios e as comportas precisam ser abertas), o que não ocorre desde 2013. A última vez que o reservatório equivalente do São Francisco atingiu 100% de sua capacidade foi em 2009.

Barragem de Sobradinho

Barragem de Sobradinho - Crédito: Arte/Folha de Pernambuco


 

veja também

comentários

comece o dia bem informado: