Pastel de bacalhau
Pastel de bacalhauFoto: Priscilla Aguiar/@ahvamosviajar

A vocação marítima dos portugueses vai bem além das grandes navegações e descobrimentos. Mesmo tendo como base itens como pão, vinho e azeite, a quantidade de peixes e frutos do mar consumidos reforça as influências atlânticas e mediterrânicas da gastronomia local.

A fama do bacalhau local não chegou aos "quatro cantos do planeta” por acaso. Dizem que há ao menos 365 maneiras diferentes de cozinhá-lo. Mas há muito outros sabores lusitanos para apreciar do que os que se tornaram tradicionais também no Brasil. Vamos então às dicas sobre onde comer em Lisboa.

Leia também:
Um olhar recifense sobre Lisboa, ora pois
Coluna sobre viagens estreia nesta terça no Portal FolhaPE


Pastel de bacalhau (Casa Portuguesa)

A união do bacalhau e o queijo Serra da Estrela transformou a Casa Portuguesa do Pastel de Bacalhau - como eles chamam o nosso bolinho de bacalhau - num ícone gastronômico no país. Nos balcões o cliente pode ver os funcionários preparando a iguaria, sempre servida quentinha. Em todas as horas do dia, filas imensas. É um ponto de visita obrigatória para os turistas.

Menu pequeno almoço (Padaria Portuguesa)
Esse nome é dado ao combo croissant brioche + suco de laranja ou café com leite da tradicional "Padaria Portuguesa". Se você, assim como eu, acrescentar a isso um Pão de Deus, sugestão da portuguesa querida que mora com a minha amiga, a conta fecha em $ 3.50 euros. É tudo muito gostoso e uma bela forma de entrar no clima da rotina local.


Pastel de nata

Pastel de nata (Pastéis de Belém e Manteigaria)
Sempre vale a pena citar o doce mais popular da confeitaria portuguesa. Qualquer padaria, bodega, restaurantim ou birosca em Lisboa vende o célebre quitute. E eles não tornaram-se famosos mundo afora à toa. Com uma massa folhada crocante e um recheio feito com gemas de ovo, açúcar e leite, a iguaria praticamente derrete na sua boca. O ideal é comer na hora, já que ele vem na temperatura ideal. E os melhores são os da tão famosa Pastéis de Belém e os da Manteigaria. Hm... tem que provar.

Amêijoas à Bulhão Pato (Restaurante Alfaia, no Bairro Alto)
Preciso declarar a minha gratidão ao meu prato de boas vindas em Lisboa. O marisco, conhecido no Brasil como vôngole, no Restaurante Alfaia é refogado e cozido por cerca de dez minutos em uma panela grande com azeite, alho e coentros. Esse fruto do mar é muito servido como entrada. Vale uma parada ao menos para prová-las com algum vinho antes de explorar o bairro boêmio, cheio de bares e gente de todo o mundo. Custam $ 14,95 euros.

Açorda de Gambas (Restaurante Alfaia, no Bairro Alto)
Se escolheu o Alfaia para jantar, um prato gostoso, tradicional e com um bom preço é o Açorda de Gambas. O prato é feito com camarões e uma espécie de pirão de pão. E vem com um ovo cru. Assim que coloca na mesa, o garçom mistura tudo e a temperatura cozinha o ovo na hora. É interessante e delicioso. Sem contar que custa $ 9,95 euros e serve duas pessoas.

Sapateira da Cerveijaria Ramiro

Sapateira (Cervejaria Ramiro)
A tradição de bem servir mariscos/crustáceos desse restaurante familiar fez com que ele ganhasse fama internacional. Se comentar que visitará Lisboa, certamente um ou vários amigos vão indicá-lo e falar sobre o cardápio diferenciado de frutos do mar da Cervejaria Ramiro. A fama da casa corresponde e muito.

O chef Nuno Barros confirmou que a família de marisqueiros tem mesmo os melhores da cidade. O meu almoço dos sonhos foi uma sapateira (crustáceo que mede entre 11 cm e 25 cm). Serve duas pessoas. Dividi com uma amiga e ficamos super satisfeitas. A refeição fica em torno de $ 50 euros por pessoa.

Camarão tigre (Cervejaria Ramiro)
A Cervejaria Ramiro tem outras especialidades como o camarão tigre (que dividido no meio é maior que uma mão) e a Gamba à la Aguilho (Camarões fritos com alho).

Mexilhões, lagosta grelhada e polvo a lagareiro (Restaurante Maria Catita)
O restaurante regional Maria Catita fica na Baixa Chiado e também é uma boa opção. Localizado na rua do Bacolheiros, número 30, o Maria Catita une boa comida, ambiente aconchegante e preço honesto. Sem contar um atendimento incrível, ao menos quando estive lá com amigos. Chegamos já bastante tarde e fizemos eles passar do horário, mesmo assim todos foram maravilhosos.

Pedimos de entrada Mexilhões a Portuguesa ($9,90 euros) com cesto de pão ($1,90), azeitonas (1,80), manteiga ($1,20) e queijo amanteigado ($ 4,69). Como prato, a Lagosta Grelhada ($ 28 euros - serve duas pessoas tranquilamente) e o Polvo a Lagareiro ($ 14,50). A sobremesa foi o Gelado Pastel de Nata ($ 9 euros). Ainda rolou coca, água e vinho, ora pois.

Caracóis

Caracóis (Perola de São Paulo)
Os caracóis, moluscos terrestres conhecidos pelas conchas que “carregam as costas”, em alguns lugares do mundo são considerados iguarias. Portugal é um destes. O caracol é deixado de jejum por alguns dias e depois fervido em água com especiarias e azeite. O petisco, que é rico em proteínas, é muito popular durante o verão. Provei no Pérola de São Paulo, que fica perto da Rua Rosa.

Prego no pão (Perola de São Paulo)
Também foi onde comi o prego no pão, um prato típico português. Consiste em uma febra (carne limpa da gordura e do osso) pequena de vaca que se come normalmente em sanduíche (prego). Existe a opção de comer também no prato (bitoque), com batata, arroz e ovo.

Travesseiro de Sintra (Casa Piriquita)
O famoso Travesseiro de Sintra, vendido na Casa Piriquita, custa $ 1,40 euro. O folhado feito com ovos, açúcar e canela é um doce típico da vila portuguesa no Distrito de Lisboa. Quem visita Sintra e passa em frente à confeitaria Piriquita se depara com filas de turistas ansiosos para provar esta delícia. No dia que estive lá foi muito tranquilo, mas vale a espera. O complicado é conseguir comer um só.

Convertendo os valores
Menu pequeno almoço - € 3.50 / R$ 14,84
Refeição na Cervejaria Ramiro -  € 50 euros por pessoa / R$ 211,88
Travesseiro de Sintra - € 1,40 euro / R$ 5,93
Pastel de nata - € 1 euro / R$ R$ 4,23
Mexilhões a Portuguesa - €9,90 euros / R$ 41,95
Lagosta grelhada - € 28 euros / R$ 118,65
Polvo a Lagareiro - € 14,50 / R$ 61,44
Gelado Pastel de Nata - € 9 euros / R$ 38,13
Açorda de Gambas - € 9,95 /R$ 42,16

Priscilla Aguiar é jornalista, editora adjunta do Portal FolhaPE e criadora dos perfis 'Ah, vamos viajar' no Instagram, Facebook e Youtube com dicas fotos e vídeos de suas passagens por pelo menos 15 países. Em maio, a colunista irá voltar a países como Portugal, Alemanha e Espanha, além de conhecer a Grécia.

E-mail: ahvamosviajar@gmail.com
Instagram: @ahvamosviajar
Facebook: /AhVamosViajar
Youtube: c/Ahvamosviajar

* A Folha de Pernambuco não se responsabiliza pelo conteúdo das colunas 

Pastel de bacalhau
Pastel de bacalhauFoto: Priscilla Aguiar/@ahvamosviajar
Menu pequeno almoço e pão de Deus na Padaria Portuguesa
Menu pequeno almoço e pão de Deus na Padaria PortuguesaFoto: Priscilla Aguiar/Ah vamos viajar
Amêijoas à Bulhão Pato
Amêijoas à Bulhão PatoFoto: Priscilla Aguiar/Ah vamos viajar
Açorda de Gambas
Açorda de GambasFoto: Priscilla Aguiar/Ah vamos viajar
Camarão tigre
Camarão tigreFoto: @quintopecado
Lagosta grelhada
Lagosta grelhadaFoto: Priscilla Aguiar/Ah vamos viajar
Polvo a Lagareiro
Polvo a LagareiroFoto: Priscilla Aguiar/Ah vamos viajar
Gelado Pastel de Nata
Gelado Pastel de NataFoto: Priscilla Aguiar/Ah vamos viajar
Prego no pão
Prego no pãoFoto: Priscilla Aguiar/Ah vamos viajar
Travesseiro de Sintra
Travesseiro de SintraFoto: Priscilla Aguiar/Ah vamos viajar

veja também

comentários

comece o dia bem informado: