Montadora Mercedes-Benz
Montadora Mercedes-BenzFoto: Wikipedia/Reprodução

O jornal alemão Bild am Sonntag disse que até 1 milhão de carros da montadora Daimler têm um software que mascara o volume de emissão de poluentes. Fabricantes de automóveis usam softwares para gerenciar a filtragem de emissões e o desempenho do motor. O dispositivo pode ser classificado como ilegal se os sistemas de filtragem de exaustão forem desativados cedo demais ou sem um bom motivo.

Leia também
Produção de carros está suspensa, diz Anfavea
Acelerar e frear o tempo todo faz carro gastar até 75% a mais de combustível
Fiat Chrysler é acusada de fraudar emissão de poluentes nos EUA


Nesta segunda-feira (11), o Ministério dos Transportes alemão ordenou a retirada imediata de 774 mil veículos a diesel da montadora. Os principais modelos afetados são as versões à diesel da van Vito, da Mercedes-Benz, a Mercedes C-Class, e as SUV das classes GLC e C. Cerca de 238 mil desses carros circulam na Alemanha.

O ministro dos Transportes alemão, Andreas Scheuer, convocou o presidente-executivo Dieter Zetsche depois que a KBA (autoridade de transportes automotivos do país) descobriu "dispositivos de gerenciamento de emissões inadmissíveis" nos motores Mercedes-Benz. A Daimler disse que está cooperando de forma transparente com a KBA e o Ministério de Transportes da Alemanha.

A Daimler, como outros fabricantes de carros, usa líquidos de nitrato de ureia para neutralizar as emissões de óxido de nitrogênio nos gases de escapamento. No entanto, a autoridade de veículos automotivos da Alemanha, a KBA, questionou os recursos de controle de emissões em meio a suspeitas de que eles permitem que os veículos emitam excesso de poluição sem detecção.

O escândalo de emissões ronda a indústria automobilística alemã desde setembro de 2015, quando a Volkswagen admitiu usar um software que pode dizer quando um veículo a diesel é testado e temporariamente reduzir suas emissões tóxicas para aprovar as regulamentações dos Estados Unidos. O escândalo do "dieselgate" custou à Volkswagen cerca de US$ 30 bilhões em multas e outros custos.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: