As medições relativas às emissões de gases poluentes e os testes de economia de combustível não aconteceram de acordo com o protocolo estabelecido
As medições relativas às emissões de gases poluentes e os testes de economia de combustível não aconteceram de acordo com o protocolo estabelecidoFoto: Pixabay

A montadora japonesa Nissan reconheceu nesta segunda-feira que falsificou os resultados dos testes de poluição com métodos de controle inapropriados na maioria das fábricas no Japão. As medições relativas às emissões de gases poluentes e os testes de economia de combustível não aconteceram de acordo com o protocolo estabelecido e os relatórios de inspeção foram baseados em valores alterados, indicou a Nissan em um comunicado.

Leia também:
Alemanha manda recolher 774 mil carros da Mercedes-Benz por mascarar poluentes
Fiat Chrysler é acusada de fraudar emissão de poluentes nos EUA


A Nissan, sócia da Renault, não informou o número de veículos envolvidos nem o perídio em que usou os métodos ilegais. A pedido das autoridades, a Nissan foi obrigada, a partir de setembro, a revisar a forma como são ou foram testados seus veículos, depois de reconhecer que pessoas não certificadas haviam assinado alguns documentos de controle.

Durante a investigação interna, outras práticas inapropriadas fora reveladas e a empresa informou o ministério japonês dos Transportes antes de advertir a imprensa. "Investigações exaustivas sobre os fatos descritos, que incluem as causas e os antecedentes deste tipo de má conduta, estão em curso", afirmou a montadora.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: