Balanço na Rede

José Neves Cabral

ver colunas anteriores
Milton Mendes, técnico do Sport
Milton Mendes, técnico do SportFoto: Brenda Alcântara/ Folha de Pernambuco

O Sport teve uma melhora na Era Milton Mendes, quarto treinador a dirigir o time neste Brasileiro, mas voltou a cair de produção nas últimas três rodadas, quando conquistou apenas um ponto. O jogo com a Chapecoense, quinta-feira passada, era o chamado confronto direto. E o Leão, durante 90 minutos, apresentou uma síntese de seu desempenho durante a competição: defesa falha somada a um ataque inoperante igual a um time prestes a ser rebaixado.

Só não podemos afirmar categoricamente isso, porque ainda restam duas rodadas e o futebol é pródigo em surpresas, boas e más. No entanto, é pouco provável que o Leão escape da degola. Para isso, terá de subverter um retrospecto extremamente desfavorável em jogos no Morumbi, contra o São Paulo - o Sport nunca venceu o tricolor paulista no Estádio Cícero Pompeu de Toledo. Na última rodada, lhe resta o Santos, na Ilha. Além das vitórias, o time pernambucano ainda terá de torcer por tropeços seguidos da própria Chape e do rubro-negro baiano.

Há cerca de três anos, o Sport vem se arrastando na Série A, com seus torcedores chegando às últimas rodadas de calculadora na mão, a especular prós e contras, enquanto falhas gritantes se repetiam a cada temporada, a principal delas o setor defensivo. Nesse período, o time sempre encerrou a Série A estando entre os cinco mais vazados da competição. Em anos anteriores, a presença de André e Diego Souza, resolvendo lá na frente, atenuava o buraco da retaguarda. A saída deles provocou, naturalmente, uma aguda queda de rendimento ofensivo. Os jogadores que vieram para o setor não supriram a ausência dos ex-ídolos.

As falhas na armação da equipe, além dos problemas de bastidores - atrasos constantes no pagamento da folha salarial - minaram a paciência do torcedor e o deixaram apreensivo, esperando o pior, que está para se concretizar nas duas últimas rodadas.

Que o rebaixamento leve os dirigentes do clube a uma reflexão. Foram muitas as contratações de jogadores inúteis, como Ernani Brocador, Andrigo, Mateus Peixoto, só para citar alguns que nada somaram durante a campanha.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: