Erick foi substituído nos últimos dois jogos do Náutico
Erick foi substituído nos últimos dois jogos do NáuticoFoto: Anderson Stevens

Destaque do clube no início de 2017 e atual artilheiro do time na temporada, com sete gols, Erick não completou os 90 minutos nos dois confrontos passados, diante do América/MG, na Série B do Campeonato Brasileiro, e perante o Santa Cruz, no Campeonato Pernambucano. Jogou mal e foi substituído. O momento do camisa 33 não é dos melhores. Ainda sem conhecer profundamente o jogador, Waldemar Lemos confessou que já conversou com o atleta. “Minha primeira pergunta para ele foi: você está triste (pelas mudanças)? Mas ele reconheceu que não está bem”, indicou o treinador. Com a constatação de ambos os lados de que é preciso evoluir para ajudar o Timbu na Segundona, o treinador alertou para a cautela na cobrança em cima do jovem de 19 anos.

Ao término do Clássico das Emoções, Waldemar Lemos já comentara sobre a situação do atacante. Ele chegou a dizer que o Erick necessitava de um trabalho diferenciado. Pouco tempo depois, o técnico contou como está tentando ajudar o atleta a reencontrar o futebol que encantou os alvirrubros nas primeiras exibições do ano.

“Pedi vídeos e lances dele para olhar, ver como ele trabalhou. Hoje eu tive a oportunidade de falar bem cedo com ele. Mesmo que ele não tenha jogado bem em algumas partidas, ele é um jogador de 19 anos e pode ter a queda. Ele nem cumpriu tanto treinamento no sub-20 do Náutico. Tenho preocupação grande no controle sobre ele. Estou conversando, tentando tranquilizá-lo. Aqui não tem ninguém contra ele. Mas ele reconhece que não foi bem nos jogos. Erros acontecem na vida da gente. Se ele errou, precisa ficar tranquilo. Não podemos bater nessa tecla (erros) o tempo todo. É preciso ter calma, não somente com ele e sim com todos da base”, apontou o treinador.

Com Waldemar, Erick passou por uma mudança no comportamento tático. Antes, com Dado Cavalcanti e Milton Cruz, primeiros treinadores do clube em 2017, o atacante não tinha obrigação de ajudar na marcação. Jogava mais livre, caindo pelo lado direito. Sob a batuta do novo comandante, ele precisou adicionar essa missão à lista de obrigações.

“A competição agora é outra. No jogo contra o Santa, entraram alguns jogadores com a mesma proposta que a dele. De repente ele pode ter sentido essa dificuldade. Mas os jogadores hoje precisam cumprir determinadas funções e estou tentando colocar isso aqui. O mais importante é que ele está tranquilo e consciente de que estamos participando de um torneio mais competitivo”, declarou.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: