Roberto Fernandes, técnico do Náutico
Roberto Fernandes, técnico do NáuticoFoto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco

A necessária vitória diante do Bahia, no último sábado, pela Copa do Nordeste, aconteceu com certo sofrimento ao torcedor alvirrubro. Agredido pelos adversários, principalmente no segundo tempo, a postura defensiva se fez necessária e o placar de 1x0 acabou suficiente. No decisivo compromisso de quarta-feira, pela Copa do Brasil, contra o Cuiabá, na Arena Pantanal, contará com uma atitude diferente. Pelo menos, foi o que garantiu o técnico Roberto Fernandes, nesta segunda-feira, após encerrar a preparação para o duelo. Segundo o comandante, que fechou o treinamento para a imprensa, a equipe apostará na ofensividade. 

Diante do Cuiabá, um empate já garante ao Náutico a premiação de R$ 1,8 milhão, por conta da vitória, no jogo de ida, pelo placar de 2x1. Esta é a terceira fase da competição. Para que nada fuja ao script desejado por Roberto Fernandes, o treinador usou como exemplo o confronto contra o Bahia, e o que não pode ser repetido nesta quarta-feira. "O Náutico, mais do que nunca, tem que fazer um jogo equilibrado. Suportar a pressão do Bahia foi um ponto importante, dá a confiança ao grupo de ter conquistado a vitória mesmo com toda a pressão, mas também deixa algumas lições. Não dá para a gente aceitar tanto a imposição do adversário."

Leia também: 
Náutico bate o Bahia e segue vivo no Nordestão
Náutico vence Cuiabá e leva vantagem para jogo da volta 

Mudanças na equipe titular devem ser providenciadas. Até porque esses testes foram feitos no confronto contra o Bahia. Algo que tem sido recorrente, segundo o comandante, com o intuído de reforçar o pensamento ofensivo da equipe. "Em 90% de todas as alterações que eu faço no Náutico é sempre colocando um cara mais ofensivo do que aquele que vinha jogando. Acho que o jogo do Bahia nos traz essa lição. Devo ter alguma alteração em relação a isso. Talvez com a equipe um pouco mais avançada, seja em característica de jogo ou até de jogador”, contou o treinador.

Contra o Bahia, o treinador fez o uso, pela primeira vez na temporada, de um esquema com três volantes. Foi promovida a estreia de Wendel, além do retorno de Jobson, ao lado de Negretti. Caso mantenha o pensamento em formar uma equipe mais ofensiva para encarar o Cuiabá, é possível que um desses volantes seja sacado do time. “A gente não pode ir para essa partida ver apenas o Cuiabá jogar. Nós temos que pensar nessa vantagem do empate faltando cinco minutos para acabar o jogo. Fora disso, temos que ir para lá pensando em vitória também", justificou.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: