Náutico x Bragantino, na Arena de Pernambuco, no último jogo do Timbu no ano, em 26 de agosto
Náutico x Bragantino, na Arena de Pernambuco, no último jogo do Timbu no ano, em 26 de agostoFoto: Brenda Alcântara/Folha de Pernambuco

O regulamento da Série C está longe do que seria um sistema de disputa ideal. Ao menos é assim que pensam os próprios participantes da competição. O torneio, que conta com 20 times, divididos em dois grupos de dez, reserva apenas 18 rodadas para as equipes que não passam de fase. Ou seja, para a grande maioria das agremiações do certame, a temporada termina no início de agosto. Náutico e Santa Cruz até se classificaram, mas caíram nas quartas de final. Ou seja, o ano acabou no fim de agosto. Tempo demais para jogo de menos. Por isso, Edno Melo, presidente do Timbu, encampa - ao lado de outros clubes - uma corrente por mudanças no formato de disputa da competição.

De acordo com o mandatário alvirrubro, o ideal seria que a Terceirona ocorresse nos moldes das Séries A e B, com 20 times se enfrentando em partidas de ida e volta, totalizando 38 rodadas, o que garantiria a realização de partidas até o mês de novembro. No entanto, a própria CBF já rechaçou tal hipótese. Entretanto, Edno Melo sugeriu a realização de dois quadrangulares nas fases finais. A medida não mudaria o número de confrontos para as equipes que caíssem na primeira fase. Contudo, os quatro clubes que brigassem pelo título teriam até 30 jornadas no torneio. Já os que chegassem à segunda fase, mas fossem eliminados, jogariam ao menos 24 confrontos, quatro a mais do que Náutico e Santa disputaram na Série C 2018.

Leia também:
Náutico defende distribuição de cotas da Copa do Nordeste
Preteridos buscam segunda chance no Náutico em 2019
Com acordo em curso, Camutanga é prioridade no Náutico
Departamento de futebol do Náutico vai recarregar as turbinas

"O sistema de pontos corridos fica muito difícil, acho que é quase descartado pela CBF. A ideia é fazermos mais quadrangulares. Daria 30 datas até o campeão e a Série C iria até o começo de novembro", detalhou o presidente alvirrubro, que se reuniu na semana passada com representantes de outros clubes da Terceirona. "Tivemos uma conversa muito inicial. Manoel Flores (diretor de Competições da CBF) ficou de marcar uma data para alinhar o que realmente a CBF e os clubes podem fazer. É uma via de mão dupla. A CBF disponibilizou já o calendário, as datas que vão ser a Série C, Copa do Nordeste, Estaduais... Vamos saber quais clubes vão cair da Série B para a C para podermos ter um bloco mais consistente", projetou.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: