Técnico do Náutico, Márcio Goiano
Técnico do Náutico, Márcio GoianoFoto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco

De olho em uma vitória que pode colocar o time no G4 do Grupo B da Copa do Nordeste, o Náutico pode ter duas novidades na escalação para o jogo contra o CRB, quinta (14), no Rei Pelé, pela sexta rodada da competição. Recuperados de suas respectivas lesões, o lateral-esquerdo Assis e o atacante Jorge Henrique estão à disposição do técnico Márcio Goiano.

“Dos jogadores que ficaram fora nos últimos jogos, Jorge Henrique foi quem conseguiu ter um retorno mais antecipado. Vou analisar suas condições para voltar. Sei que, independente se ele iniciar ou não a partida, poderá nos ajudar, assim como Assis. Temos um grupo forte e é importante ter o retorno de atletas em um momento decisivo”, afirmou o treinador. O defensor se recuperou de um problema na coxa esquerda, enquanto o atacante ficou fora das últimas quatro partidas devido uma contusão no joelho direito.

Caso Jorge Henrique retorne ao time, Goiano pode sacar Danilo Pires ou até mesmo Robinho da equipe – esse último é dúvida por conta de dores na coxa direita. Já Assis ocuparia a vaga de Josa, volante improvisado na lateral esquerda nas últimas rodadas.

Quem vê o Náutico invicto há 11 jogos e nas primeiras colocações do Campeonato Pernambucano pode até esquecer que, na Copa do Nordeste, o clube ainda está em situação embolada. Sexto colocado do Grupo B, com seis pontos, o Timbu está dois pontos abaixo do G4. Em compensação, tem apenas um a mais que o Moto Club/MA, lanterna. Analisando a tabela de classificação, Goiano ressaltou que a média de pontos para conseguir encerrar a fase inicial no G4 terá que ser mais alta do que a do Grupo A. O CRB, por exemplo, é o quarto colocado da outra chave, mas tem apenas cinco pontos.

“Nosso grupo é bem diferente. Tudo pode acontecer. Sabemos que precisamos de um aproveitamento mais alto para conseguir a classificação. Temos duas decisões, contra CRB e Vitória, além do Altos/PI em casa. Apenas duas vitórias não dá (para se classificar). O Botafogo/PB (vice-líder, com 11 pontos) tem Altos e Sampaio em casa. Se aproveitar bem o mando de campo vai se classificar. O importante é a gente manter o foco”, declarou. Ceará (1º, com 11), Botafogo (2º, com 11), CSA (3º, com 10) e Bahia (4º, com nove) ocupam o G4.

O CRB, que jogará a Série B no meio do ano, será o terceiro time que o Náutico enfrentará em 2019 que ocupa uma das duas principais divisões do futebol brasileiro. Os outros foram Fortaleza (Série A) e Sport (Série B). Até o momento, o retrospecto é ruim, com duas derrotas. O Timbu só venceu em 2019 clubes da mesma divisão (Sampaio) ou em situação inferior, como as equipes do interior de Pernambuco e o Sergipe (Série D). “No futebol, você cita orçamento, valores, mas o mais importante é o trabalho. No jogo contra o Fortaleza, por exemplo, nós tivemos um bom início O grupo precisa ter confiança. Temos essa invencibilidade (11 jogos) e esperamos fazer um grande jogo”, declarou.

Leia também:
Náutico tem quarta maior invencibilidade do Brasil em 2019
Robinho é dúvida para jogo contra o CRB

veja também

comentários

comece o dia bem informado: