Cobra Coral fez 2x0 nos paraenses neste domingo (08), no Arruda
Cobra Coral fez 2x0 nos paraenses neste domingo (08), no ArrudaFoto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco

As cenas de violência, que foram protagonizadas antes do duelo entre Santa Cruz e Remo, no último domingo, por conta de briga de torcidas organizadas, não foram as únicas. Nos minutos finais do jogo, membros da comissão técnica da equipe paraense, além de atletas, agrediram verbalmente e até fisicamente o quarto árbitro do jogo, o pernambucano Niélson Nogueira Dias. Alguns detalhes da confusão foram registrados na súmula da partida.

Quem acompanhou o duelo pela televisão pode ver um membro da comissão técnica do Remo atingir, pelas costas, com uma caneta, Niélson Nogueira Dias. O agressor foi o preparador de goleiros paraense, Juninho. Detalhe: Antes de dar dois golpes contra Niélson, Juninho preocupa-se em apertar o gatilho da caneta e certifica-se que a ponta está para fora. Na súmula, o árbitro Rodrigo Nunes de Sá escreveu que “socos” haviam sido dados. Em entrevista ao EI, Juninho disse que pediu desculpas ao árbitro e elas foram aceitas.

Leia também: 
Fernandes: 'Não tem como escolher ninguém do lado de lá'
Arruda pode ser fator fundamental para classificação do Santa
'Era um confronto previsto', afirma delegado sobre briga de organizadas no Recife

Confira o que foi escrito na súmula do arbitro Rodrigo Nunes de Sá:

Segundos após a expulsão do atleta Roberto Zulian Júnior (o Vacaria), da equipe do clube do Remo, que o mesmo (Nielson Nogueira) foi cercado por integrantes do banco de reservas da equipe do Remo, próximo à lateral do campo de jogo entre os dois bancos de reservas, onde houve vários questionamentos sobre a expulsão, quando sentiu 02 (dois) socos nas costas, próximo a parte lateral direita da cintura, não sendo possível identificar o agressor nem que direção o mesmo tomou, pelo fato do referido 4º árbitro estar voltado com sua visão para frente, (...) sendo a agressão ocorrida pelas costas. O 4º árbitro ainda tentou, de forma frustrada, identificar o agressor, não sendo possível. Relatou também que foi constatado por toda equipe de arbitragem, já no vestiário, que não houve nenhuma lesão no local provocada por esses golpes, não sendo necessária a condução ao órgão legal competente.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: