Juninho foi promovido para o profissional em 2016
Juninho foi promovido para o profissional em 2016Foto: Williams Aguiar/Sport Club do Recife

O Corinthians comunicou, nesta quinta-feira, a desistência de contratar o atacante Juninho, do Sport. Através do site oficial, o clube informou a decisão, um dia depois de toda a repercussão negativa em torno da negociação. Vale lembrar que o atleta rubro-negro responde desde o fim do ano passado a um processo por agressão, ameaça e injúria contra a ex-namorada.

Confira a nota oficial assinada por Andrés Sanchez, presidente do clube:

“Ao entabular negociações com o atleta Juninho, o Corinthians visava não só atrair um promissor talento futebolístico, mas também encetar um processo de ressocialização dele. Sabedor de antecedentes desabonadores no seu passado, acreditamos que um jovem devidamente orientado teria condições de mudar de banda e, em vez de frequentar o grupo dos que tratam como corriqueira a agressão à mulher, pudesse se tornar um exemplo de evolução moral.

Ou seja, o episódio deveria representar um passo avante naquela que é bandeira sagrada do Timão: lutar contra qualquer forma de discriminação, abominar a violência, aliar-se aos mais fracos. Entretanto, considerando as inúmeras manifestações de torcedoras e torcedores contrários à eventual contratação de Juninho, informamos que ele não fará parte de nosso quadro de funcionários. O momento exige que o congraçamento de mentes em torno da causa feminista se sobreponha a quaisquer outras considerações.

Leia também:
Claudinei monta Sport com a volta de Rafael Marques
Contratações do Sport suprem carências do time titular


Ademais, estaremos aumentando a importância do enfrentamento pelo Corinthians de um tema sensível como esse em um ambiente sabidamente machista como o futebol. Atuaremos no sentido de difundir por todas as instâncias do Clube essa doutrina para evitar ocorrências como essa e formaremos parcerias com instituições que também cuidem da ressocialização dos agressores homens para que a violência contra a mulher acabe no Brasil.”

veja também

comentários

comece o dia bem informado: