Rio Xingú, no Pará
Rio Xingú, no ParáFoto: Reprodução Internet

A hidrelétrica de Belo Monte suspendeu as atividades de suas novas turbinas após uma notificação do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) à concessionária Norte Energia, feita na última sexta-feira (9). Em janeiro, cerca de uma tonelada de peixes morreram durante a realização de testes da oitava turbina da usina, no rio Xingu, no Pará. À época, os testes no local já haviam sido interrompidos.

Na última semana, o órgão ambiental decidiu barrar preventivamente os testes da nona turbina do empreendimento, tal como interromper a atividade das outras oito unidades geradoras já em operação. O órgão ambiental pediu que as turbinas não fossem mais acionadas até que um novo plano de mitigação seja elaborado e aprovado pela diretoria de licenciamento ambiental.

Leia também: 
Delatores dizem que Dilma atuou na fraude de Belo Monte
Delfim Netto é alvo de buscas da Lava Jato em investigação sobre Belo Monte

A morte dos peixes ocorre porque quando as turbinas são acionadas, os cardumes são atraídos pela correnteza formada com o início da rotação das turbinas e, quando a velocidade aumenta, eles morrem. Em uma operação normal das turbinas isso não seria um problema, já que a força da correnteza impediria a aproximação dos peixes.

A Norte Energia informou, em nota, que tem "providenciado a implantação de barreiras e outras soluções tecnológicas que evadam cardumes de peixes nas zonas próximas do tubo de sucção de Unidades Geradoras". A concessionária diz que apresentou ao Ibama dados técnicos sobre a eficiência desses dispositivos emergenciais na última sexta (9) e na segunda (12).

A empresa também destaca que não se trata de uma paralisação das unidades geradoras, e que a usina segue licenciada pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) e pela ONS (Operador Nacional de Sistema).

veja também

comentários

comece o dia bem informado: