Leusa Santos, editora-executiva da Folha de Pernambuco
Leusa Santos, editora-executiva da Folha de PernambucoFoto: Arthur de Souza/Arquivo Folha

Essa tríade no título acima faz parte da nossa rotina muito mais do que imaginamos quando estamos conectados às redes sociais. A necessidade de aceitação e a frustração, no caso de recebermos poucas ou nenhuma curtida, pode trazer danos ao nosso sistema emocional. O assunto vem sendo cada vez mais alvo de estudos e preocupação. Afinal, é preciso conviver nesse mundo de likes sem ter a saúde mental devorada por ele.

A reportagem que abre a capa desta edição, em Zoom, discute o tema. Estudo do University College London (UCL), de Londres, aponta que as garotas são duas vezes mais propensas que os garotos a apresentarem sintomas de depressão na relação com os aplicativos. A Royal Society for Public Health, também de Londres, desenvolveu pesquisa com pessoas entre 14 e 24 anos e verificou que a taxa de ansiedade e depressão desse grupo aumentou 70% na interação com as redes sociais.

Leia também:
A história presente no nosso cotidiano
Todos de dedos cruzados!
E você nem sabe disto

De acordo com estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS), 9,3% dos brasileiros têm algum transtorno de ansiedade. As redes sociais estão aí, vieram para ficar, mas é preciso saber lidar com elas. Reportagem mostra esse cenário e traz orientações de especialistas sobre comportamentos saudáveis. Além disso, ouvimos algumas pessoas que deram a volta por cima nos transtornos emocionais. Leitura imperdível.

Já ouviu falar do movimento Passinho dos Malokas? É um fenômeno de dança originado em São Paulo e no Rio de Janeiro, que tem a representação de jovens da periferia com coreografias baseadas no funk. Os jovens daqui também foram contagiados pelo ritmo, mas adicionaram o nosso brega, e temos o passinho na versão brega-funk, que vem fazendo muito sucesso. Entrevistamos o grupo Magnatas do Passinho S.A. O pessoal nos contou sobre essa forma de expressão cultural que contribui para desconstruir a imagem estereotipada que associa violência à periferia. O grupo é de Santo Amaro. Exemplo de superação através da dança. A matéria abre a edição de Arte.

Também nesse caderno, abordamos outro exemplo de superação no campo da dramaturgia. O teatro pernambucano persiste e insiste em transpor para os palcos, com sucesso, obras que nos colocam à frente de questionamentos. A matéria traz a trajetória e o trabalho de dramaturgos como Rafael Almeida e Rodrigo Dourado, do Teatro de Fronteira, além de Cleyton Cabral. Segundo eles, faltam iniciativas para que os textos para teatro saiam das estantes e ganhem os tablados.

Boas notícias à vista no mundo do futebol. Na próxima terça, começa a Copa do Nordeste. O campeonato entra na sua 16ª edição. De Pernambuco, participam Náutico, Santa e Salgueiro. Timbu e Coral jogam já no primeiro dia. Confira em Esportes. Em Sabores, tem um papo sério sobre a escolha de comida na praia. Especialistas orientam para aproveitar o verão sem pôr a saúde em risco. Aproveite e boa leitura!

veja também

comentários

comece o dia bem informado: