Ônibus de dez linhas transitam no tráfego misto pela pista da direita da avenida Visconde  de Jequitinhonha, do Recife a Jaboatão
Ônibus de dez linhas transitam no tráfego misto pela pista da direita da avenida Visconde de Jequitinhonha, do Recife a JaboatãoFoto: Henrique Genecy/Folha de Pernambuco

 A Prefeitura do Recife iniciará estudos para avaliar os impactos da eventual implantação de uma Faixa Azul na avenida Visconde de Jequitinhonha, no bairro de Boa Viagem, na Zona Sul. O objetivo é dar continuidade à Faixa Azul de 5,8 quilômetros já existente nas avenidas Herculano Bandeira, no Pina; e Engenheiro Domingos Ferreira, em Boa Viagem, prosseguindo até o limite com Jaboatão dos Guararapes.

No território da cidade vizinha, no bairro de Piedade, também já há uma faixa exclusiva de dois quilômetros para o transporte público. Se sair do papel, a Faixa Azul da avenida Visconde de Jequitinhonha é a peça que falta para dar origem e interligar um supercorredor de 10,6 km na parte sul do Grande Recife.

Leia também:
Av. Antônio de Góes, no Pina, ganha Faixa Azul
Terminais do Corredor Norte-Sul serão reformados


Atualmente, a Faixa Azul da Domingos Ferreira termina no cruzamento com a rua Barão de Souza Leão. De lá ônibus de dez linhas seguem no tráfego misto pela pista da direita da Visconde de Jequitinhonha, que conta com três faixas de rolamento e margeia o canal de Setúbal por três quilômetros.

Como tem semáforos distantes entre si e poucos cruzamentos, o trânsito na região não costuma ter retenções, o que, mesmo sem nenhum espaço prioritário para o transporte público, já dá boas condições para os coletivos seguirem viagem.

O fluxo de veículos só fica mais carregado à frente, perto do cruzamento com a avenida Armindo Moura, mas tem maior impacto no território de Jaboatão, onde já há um corredor ao longo da avenida Ayrton Senna da Silva - entre a rua Doutor Arlindo Maciel e a avenida General Barreto de Menezes.

“Essa Faixa Azul seria a continuidade da que foi implantada na Domingos Ferreira, mas é algo que ainda terá estudos iniciados. É uma meta que temos neste ano”, explicou a presidente da Autarquia de Trânsito e Transporte Urbano (CTTU), Taciana Ferreira.

Quem usa ônibus na avenida Visconde de Jequitinhonha vê com bons olhos a intenção. “Se for melhorar, será muito bom. Porque, agora mesmo, estou esperando o ônibus de Massangana há 20 minutos e nada. Algumas linhas demoram muito”, disse a empregada doméstica Maria José Ramos, 58 anos. “Seria bom, mas precisa de fiscal vigiando, porque ainda tem carro que invade. Onde colocaram corredor, foi bom até agora”, avaliou a também empregada doméstica Eliane Firmino, 45.

Nas últimas semanas, a Prefeitura do Recife retomou a implantação de Faixas Azuis após um hiato de um ano e meio sem instalar nenhum recurso semelhante. Em 18 de dezembro, teve início a operação de um corredor de 3,6 km, que começa na estrada dos Remédios, segue pela rua Visconde de Albuquerque e termina na rua José Bonifácio, cortando os bairros de Afogados, Ilha do Retiro, Madalena e Torre, na Zona Oeste. O trecho faz um binário com as Faixas Azuis das ruas Real da Torre e Cosme Viana.

Na última segunda-feira (8), a CTTU começou a operação da Faixa Azul da avenida Antônio de Góes, no bairro do Pina. Com 580 metros, esse era o trecho que faltava de um corredor de 5,2 km prometido em 2016, mas que só havia sido implantado em uma parte - a maior, situada na avenida Conselheiro Aguiar. Foi o oitavo equipamento do tipo na Capital, que soma cerca de 36 km de faixas exclusivas para o transporte público implantadas desde 2013.

Além da avenida Visconde de Jequitinhonha, a avenida Agamenon Magalhães, principal artéria da Cidade, também está nos planos da CTTU para ganhar um corredor de ônibus.

Corredor de transporte

Corredor de transporte - Crédito: Arte: Folha de Pernambuco

 

veja também

comentários

comece o dia bem informado: