Polícia Federal e Ministério Público Federal serão acionados para investigar as ameaças
Polícia Federal e Ministério Público Federal serão acionados para investigar as ameaçasFoto: Divulgação

O Ministério Público Federal (MPF) e a Polícia Federal (PF) serão acionados pela Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) para que sejam investigadas as ameaças feitas a estudantes e professores, escritas em uma espécie de 'carta' deixada na sala do Diretório Acadêmico de História da universidade nesta terça-feira (6), e posteriormente compartilhada em redes sociais.

A informação foi dada em nota emitida pela universidade, que também abrirá sindicância para apuração dos fatos. A decisão em acionar os órgãos federais foi tomada após uma reunião realizada nesta quarta-feira (7) entre a diretoria da instituição, a Procuradoria Federal e a Ouvidoria Geral

Leia também:
'Carta' ameaça professores e alunos da UFPE
Em discurso no Congresso, Raquel Dodge defende minorias, liberdade dos professores e da imprensa
Fenaj defende democracia e critica 'fascismo emergente'
Polícia gaúcha investiga ameaças a menina com síndrome de Down


A UFPE afirmou que repudia, de forma veemente, as ameaças e insultos direcionados aos professores e alunos do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH) e defende que a academia é um espaço para o pluralismo de ideias. Veja a nota na íntegra:

'A Universidade Federal de Pernambuco repudia, de forma veemente, as ameaças e insultos que estão sendo feitos, por meio de panfletos e via redes sociais, a professores e estudantes do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH), devido ao seu posicionamento político-ideológico, à orientação sexual e à etnia.

A Reitoria determinou hoje (7) – após reunião com a diretoria do centro, Procuradoria Federal e Ouvidoria-Geral – a abertura de sindicância interna e fará comunicado oficial ao Ministério Público Federal e à Polícia Federal para que os fatos sejam devidamente apurados.

A UFPE não admite, sob qualquer hipótese, que a violência ameace as liberdades de cátedra e individuais. A Universidade defende a academia como o espaço para o pluralismo de ideias. Denúncias de casos como esses podem ser encaminhadas para a Ouvidoria-Geral da UFPE, por meio do site da Universidade'.

Entenda o caso:
Uma lista com nomes de professores e estudantes da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), mais especificamente do Centro de Filosofia e Ciências Humanas (CFCH),  foi deixada na sala do Centro nesta terça (6) e começou depois a circular em redes sociais. Em tom de ameaças, o autor, anonimamente, denominava as pessoas listadas de 'doutrinadores' e 'escórias da humanidade'.

A carta, intitulada ‘Doutrinadores e alunos que serão banidos do CFCH – UFPE 2019’, citava nomes de professores, entre eles o de Michel Zaidan, chamado de ‘doutrinador comunista’e José Luiz Ratton, apontado como incitador ao uso de drogas junto aos seus ‘orientandos esquerdistas’.

Ao final da lista, o autor 'assina' com as seguintes palavras: "Você serão banidos! Escórias! O mito vem aí!", denotando uma clara menção, nesta última frase, ao presidente eleito Jair Bolsonaro.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: