Instituições federais ficaram vazias no dia da Greve Nacional da Educação
Instituições federais ficaram vazias no dia da Greve Nacional da EducaçãoFoto: Kleyvson Santos/Folha de Pernambuco

As universidades públicas de Pernambuco paralisaram suas atividades e ficaram vazias na manhã desta quarta-feira (15), dia da Greve Nacional da Educação contra os cortes no orçamento anunciados pelo Ministério da Educação.

A reportagem da Folha de Pernambuco visitou três das instituições mais afetadas no Estado - Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Instituto Federal de Pernambuco (IFPE) e Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) - e verificou que alunos e professores aderiram majoritariamente à paralisação. As salas de aulas foram encontradas vazias e, nos corredores, apenas funcionários da limpeza foram trabalhar.

Leia também:
Bloqueios na educação atingem R$ 7,4 bilhões
Bloqueio de recursos em federais é inconstitucional, defende procuradoria

Na UFPE, o clima foi de tranquilidade. No local, a reportagem encontrou apenas a estudante do doutorado em biotecnologia Cybelle Nery. Ela contou que só foi na instituição para terminar um trabalho, mas que acha a paralisação importante. “As bolsas das pós graduações estão ameaçadas. Muitas pessoas dependem exclusivamente delas”, afirmou.

No IFPE, as aulas foram canceladas e a movimentação também era pequena. Apenas funcionários estavam no instituto. A professora de história Leda Correia foi ao local com um cartaz com os dizeres “a quem interessa destruir a educação pública no Brasil?”, como uma forma de protesto contra os cortes na verba da educação. “Eu acho necessário vir aqui na instituição e conversar com os estudantes sobre a importância da educação e o quanto esse corte impacta no desenvolvimento da ciência”, contou.

A professora disse ainda que o ato em defesa da educação nacional deveria ser de interesse de todos. “Essa manifestação não é somente em defesa da educação pública, já que os cortes afetam os serviços e as pesquisas. É uma ameaça ao desenvolvimento nacional”, afirmou.

Instituições federais ficaram vazias no dia da Greve Nacional da Educação

Instituições federais ficaram vazias no dia da Greve Nacional da Educação - Foto: Kleyvson Santos/Folha de Pernambuco

Na UFRPE, a paralisação das aulas foi total e a movimentação de estudantes ocorreu somente no início da manhã, quando foi realizado um café da manhã com a comunidade acadêmica, que aproveitou o momento para confeccionar cartazes para o ato.

Segundo a presidenta de Associação dos Docentes da UFRPE, Erika Suruagy, um ônibus disponibilizado pelo Sindicato dos Professores vai sair da universidade em direção a manifestação, que tem concentração na rua Aurora, no bairro da Boa Vista, a partir das 15h.

“Nós tivemos uma adesão de 100% dos professores, que decidiram parar as atividades nesta quarta. Com esse corte, o Hospital Veterinário, por exemplo, poderá ser fechado e pesquisas serão afetadas. É inadmissível o que o Governo Bolsonaro está fazendo com a educação no Brasil. Nós precisamos ir às ruas e mostrar que não concordamos com isso”, afirmou.

Escolas particulares
Escolas particulares também aderiram aos protestos no Recife, como o Colégio Ideia, na Madalena; o Colégio Apoio, no Parnamirim; a Escola Arco-Íris, na Várzea; e o Instituto Capibaribe, nas Graças.

De acordo com um dos diretores do Colégio Ideia, Domingos Sávio, que promoveu um debate sobre educação pública no Brasil, "o Colégio Ideia é uma escola particular, mas não pode abrir mão da luta porque preparamos nossos alunos para uma universidade pública gratuita de qualidade. Então, se a universidade não tem condições de funcionar, para onde vão os nossos alunos?".

Para o diretor, ainda, a adesão à paralisação não é um posicionamento político-partidário, mas um posicionamento político em defesa da educação afim de formar jovens críticos e com consciência social.

Instituições federais ficaram vazias no dia da Greve Nacional da Educação
Instituições federais ficaram vazias no dia da Greve Nacional da EducaçãoFoto: Kleyvson Santos/Folha de Pernambuco
Instituições federais ficaram vazias no dia da Greve Nacional da Educação
Instituições federais ficaram vazias no dia da Greve Nacional da EducaçãoFoto: Kleyvson Santos/Folha de Pernambuco
Instituições federais ficaram vazias no dia da Greve Nacional da Educação
Instituições federais ficaram vazias no dia da Greve Nacional da EducaçãoFoto: Kleyvson Santos/Folha de Pernambuco
Instituições federais ficaram vazias no dia da Greve Nacional da Educação
Instituições federais ficaram vazias no dia da Greve Nacional da EducaçãoFoto: Kleyvson Santos/Folha de Pernambuco
Instituições federais ficaram vazias no dia da Greve Nacional da Educação
Instituições federais ficaram vazias no dia da Greve Nacional da EducaçãoFoto: Kleyvson Santos/Folha de Pernambuco
Instituições federais ficaram vazias no dia da Greve Nacional da Educação
Instituições federais ficaram vazias no dia da Greve Nacional da EducaçãoFoto: Kleyvson Santos/Folha de Pernambuco
Instituições federais ficaram vazias no dia da Greve Nacional da Educação
Instituições federais ficaram vazias no dia da Greve Nacional da EducaçãoFoto: Kleyvson Santos/Folha de Pernambuco
Instituições federais ficaram vazias no dia da Greve Nacional da Educação
Instituições federais ficaram vazias no dia da Greve Nacional da EducaçãoFoto: Kleyvson Santos/Folha de Pernambuco
Instituições federais ficaram vazias no dia da Greve Nacional da Educação
Instituições federais ficaram vazias no dia da Greve Nacional da EducaçãoFoto: Kleyvson Santos/Folha de Pernambuco
Instituições federais ficaram vazias no dia da Greve Nacional da Educação
Instituições federais ficaram vazias no dia da Greve Nacional da EducaçãoFoto: Kleyvson Santos/Folha de Pernambuco

veja também

comentários

comece o dia bem informado: