Enem
EnemFoto: Arte: Folha de Pernambuco

Nos dois domingos, 5 e 12 de novembro, mais de seis milhões de estudantes brasileiros farão as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em diversos municípios espalhados por todo o País. Na edição 2017, a prova será composta por quatro cadernos, cada um com 45 questões, além da redação. Restando pouco mais de uma semana para o início das avaliações - que servem como principal porta de entrada para as universidades públicas, além de ser necessário para a inscrição em programas sociais como Fies, Prouni e Pronatec -, a Folha de Pernambuco destacou algumas dicas de assuntos que devem ser abordados nos exames e o melhor jeito de estudar cada matéria, auxiliando os estudantes nesta reta final. Consulte o edital do Enem.

Ciências humanas e suas tecnologias
É importante estar atento ao estilo analítico em que estão mescladas todas as áreas de conhecimento, intercalando-se em contextos que visam à compreensão da sociedade atual nas suas relações trabalhistas; direitos humanos; construção da cidadania, além de problemas ecológicos e de sustentabilidade planetária. Não se pode esquecer de estudar o século XX em toda a sua dramaticidade e contradições humanas, geográficas, históricas e filosóficas.

Matemática e suas tecnologias
A análise gráfica é um tema com bastante incidência, então saber fazer a interpretação de gráficos é muito importante. Probabilidade e estatística também são assuntos presentes, e que estão interligados a outras matérias, como Física e Química. Nos dois últimos anos, logaritmo vem sendo cobrado com frequência, sem falar em geometria, que compõe praticamente um terço da prova. Nas questões matemáticas, a melhor forma de estudar é resolvendo exercícios, pondo em prática o que foi aprendido em sala de aula.

Linguagens e suas tecnologias + Redação
A prova de linguagens do Enem é baseada em textos, ou seja, é essencial a compreensão e intencionalidade de cada gênero textual, que, aliás, é um assunto que cai com bastante frequência. Ficar atento também à linguagem formal e informal; uso de pontuação; relação semântica de subordinação; causa e consequência e intertextualidade, ou seja, a relação entre textos. Uma dica importante para a hora da prova é ler a questão antes de ler o texto para ter consciência do que ela pede. Para esta reta final, o ideal é separar provas anteriores do Enem e focar na resolução dos questionamentos.
Para a redação, o mais importante é estar atento aos assuntos que vêm sendo tratados com frequência na atualidade, pois, tudo indica que um deles será usado como tema para a elaboração do texto. Já com a prova em mãos, o ideal é dosar o tempo e usar todas as linhas (30) que a prova sugere. Também é de extrema importância ficar atento aos seguintes itens: fazer um texto dissertativo, ou seja, de cunho argumentativo; construir uma tese; organizar bem suas ideias; fazer a escolha correta de argumentos; estruturar bem o texto e, por fim, fazer uma revisão.

Leia também:
Concurso público: o segredo é focar
Quais línguas você domina?
Ensino bilíngue acelera a fluência e abre portas
Uma formação social e intelectual
Ensino infantil é a base para o mundo
Ensino especial inclui e humaniza


Ciências da natureza e suas tecnologias
Abrangendo química, física e biologia, a prova de ciências da natureza conta com uma maior reincidência em questões de química ambiental; estudos das ondas eletromagnéticas; as perspectivas da ecologia; ação dos catalisadores; circuitos elétricos e genética.

Para essas matérias, a melhor maneira de estudar é colocar em prática os exercícios, já que eles são responsáveis por fundamentar a teorização. Já na hora da prova, o mais importante é fazer uma leitura cuidadosa das questões e não se apegar às palavras difíceis, mas buscar entender o que o quesito está propondo, evitando perder muito tempo em uma só questão.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: