Inseridas desde cedo no inglês, as crianças já chegam ao Ensino Médio com fluência
Inseridas desde cedo no inglês, as crianças já chegam ao Ensino Médio com fluênciaFoto: Beto Almeida/Divulgação

Com o mundo cada vez mais interligado, possuir fluência em um segundo idioma acabou se tornando imprescindível. Mas, qual o melhor momento para se dedicar a aprender uma nova língua? Um estudo realizado na Universidade da Colúmbia Britânica, em 2011, revelou que é na infância onde existe uma maior facilidade no domínio de um novo dialeto.

Leia também:
Quais línguas você domina?
Segundo idioma também é ponte para nova profissão
Confira o especial Educação

Essa, inclusive, é a proposta do Colégio Madre de Deus, localizado em Boa Viagem, na Zona Sul do Recife. A instituição implementou o ensino bilíngue já na Educação Infantil, para que essas crianças cheguem ao Ensino Médio e deixem a escola com um nível intermediário ou até mesmo fluente no inglês, língua considerada quase que obrigatória nos dias atuais.

“A grande vantagem é que o cérebro dessas crianças ainda está em formação, então a capacidade e a flexibilidade desses alunos na hora da aprendizagem acabam sendo bem maiores. Como a criança ainda não tem total conhecimento da primeira língua, acaba se tornando mais fácil inserir novas palavras, mesmo que sejam de outro idioma”, explicou Cristiana Gurgel, coordenadora do ensino bilíngue do colégio.

Mas, para que esse vocabulário iniciante não se perca pelo caminho, é necessário deixar o aluno ter esse contato direto com outra língua até a sua conclusão escolar, no Ensino Médio. É aí que entra a importância do ensino High School, que consiste em preparar o estudante para uma iniciação acadêmica de nível superior fora do País.

“Foi necessário fazer uma mudança nos materiais didáticos e sair do tradicionalismo que estávamos acostumados. Foi então que passamos a trabalhar o inglês dentro dos outros conteúdos, como na geografia; trazendo obras de Shakespeare dentro da literatura; abordar assuntos de saúde física e mental dentro da biologia, tudo isso sem esquecer de inserir o inglês. Ou seja, eles continuam vendo todas essas matérias, mas de uma forma mais didática e aprofundada de idioma”, acrescentou Roberto Ferreira, coordenador de High School do Madre de Deus, que possui uma parceria com a Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, o que facilita na caminhada desses alunos em um ensino fora do Brasil.

Praticando o inglês ou qualquer outro idioma de forma contínua, é possível ver as portas do mercado de trabalho se abrirem, além de perceber diversas oportunidades acadêmicas e pessoais, o que permite a esses alunos possuírem uma vivência constante da cultura de outros países antes mesmo de sair do Brasil.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: