Mata Atlântica é um dos principais biomas brasileiras
Mata Atlântica é um dos principais biomas brasileirasFoto: Alfeu Tavares/Arquivo Folha de Pernambuco

Uma das florestas mais ricas em diversidade de espécies do planeta, a Mata Atlântica sofre há centenas de anos com o desmatamento e a exploração. O bioma abrange uma área de cerca de 15% do território brasileiro, o que inclui 17 dos 27 estados do País.

Atualmente restam apenas cerca de 12% da cobertura original da floresta, segundo dados da ONG SOS Mata Atlântica. Do que restou, 80% encontra-se em áreas privadas. O cenário de destruição, no entanto, vem observando ligeiras mudanças nos últimos anos. Um novo estudo mostra que a restauração em larga escala da floresta já está acontecendo.

Leia também:
Apenas 6,5% da água dos rios da Mata Atlântica é considerada de boa qualidade

Mata Atlântica perdeu pelo menos 44% de mamíferos desde a chegada dos europeus

Dados mais recentes de uma análise do Pacto pela Restauração da Mata Atlântica identificou a recuperação de aproximadamente 740 mil hectares (ha) de florestas nativas entre 2011 e 2015 em todo o Brasil. A meta estabelecida pelo Desafio de Bonn, um esforço global assinado também pelo Pacto em 2011, é de reflorestar 1 milhão de hectares até 2020 no País. A tendência, com o cenário atual, é que esse número seja batido e a recuperação atinja cerca de 1,4 milhão ha até a virada da década.

Em Pernambuco, o estudo mostra que foram recuperados 13.475 hectares da Mata Atlântica de 2011 a 2015. O ano com mais quantidade de floresta restaurada detectada pela primeira vez no Estado foi 2012, com 3.306 ha. O estado que lidera o ranking desses cinco anos é Minas Gerais, que restaurou 214.373 ha, seguido do Paraná, com 185.384 ha.

Para o líder do estudo e pesquisador do Instituto Internacional para Sustentabilidade (IIS), Renato Crouzeilles, a conscientização da população sobre a importância da natureza é um dos caminhos para melhorar esses índices. “Não é uma ação unicamente do Pacto. É um conjunto de ações para chegar a esse número”, ressaltou. Os fatores que levaram à restauração da Mata Atlântica, segundo o estudo, são intervenções ativas de membros do Pacto e resultado de regeneração natural e outros atores. Segundo o estudo, não é possível mensurar a contribuição de cada técnica de restauração para a floresta. “As ações que conseguimos monitorar são principalmente plantio de mudas de espécies como Pau-brasil por membros do pacto”, acrescentou Crouzeilles.

Os autores do estudo apontam que os seguintes fatores contribuíram para os resultados positivos na recuperação florestal: desenvolvimento de estratégias de governança, comunicação e articulação em 14 dos 17 estados com o bioma, estabelecimento de um sistema de monitoramento da restauração, e a promoção de visão e estratégia para influenciar políticas públicas e ações de restauração em diferentes esferas da sociedade. “A Mata Atlântica é o hotspot de conversação do mundo. É um local que tem uma taxa de espécies endêmicas muito grande e também tem uma taxa de desmatamento muito grande”, destacou o líder do estudo.

Em meio às discussões sobre a MP 867, que trazia a proposta de várias alterações no Código Florestal e caducou no último dia 3 por não ser votada no Senado, Renato cita a importância da manutenção das políticas ambientais no País para que os números de restauração sigam positivos. “O Código Florestal pode afetar negativamente nessa restauração. Vários movimentos vêm fazendo esforços enormes para evitar MPs desse tipo. Tudo o que foi feito para o meio ambiente não pode ser perdido agora. Conseguimos dar os primeiros passos e esta é uma mensagem de esperança que a Mata Atlântica está trazendo nesses dias atuais”, finalizou Crouzeilles.

A Mata Atlântica
- Quando Pedro Álvares Cabral chegou ao Brasil em 1500, a Mata Atlântica abrangia uma área equivalente a 1.315.460 km² do território nacional.
- Abrange 17 dos 27 estados do Brasil: RS, SC, PR, SP, GO, MS, RJ, MG, ES, BA, AL, SE, PB, PE, RN, CE e PI.
- Quase 72% da população brasileira, aproximadamente 145 milhões de habitantes, vive em áreas de Mata Atlântica, segundo dados do IBGE de 2014.
- Do total de 633 espécies de animais ameaçadas de extinção no Brasil, 383 vivem na Mata Atlântica.
- Abriga mais de 15 mil espécies de plantas e mais de 2 mil espécies de animais vertebrados em sua extensão.

Fonte: SOS Mata Atlântica

veja também

comentários

comece o dia bem informado: