Saúde e Bem-Estar

Rafael Coelho

ver colunas anteriores
Um idoso que tem pouca massa muscular não tem a força física suficiente para algumas ações, tendo risco aumentado de quedas e fraturas
Um idoso que tem pouca massa muscular não tem a força física suficiente para algumas ações, tendo risco aumentado de quedas e fraturasFoto: Reprodução/Pixabay

Olá leitores e internautas que acompanham a coluna de Saúde e Bem-Estar. Você já ouviu falar sobre a sarcopenia do idoso? Que tal entendermos um pouco dela e das suas consequências?

Durante o processo de envelhecimento, o indivíduo vai deixando de produzir de maneira mais eficiente alguns hormônios. Estes hormônios como a Testosterona e Gh (hormônio do crescimento), além de todos os seus benefícios, são responsáveis por conservar a sua massa muscular, que por sua vez é a qualidade que permite que exista força física, sendo possível caminhar, realizar suas atividades, ou seja ter independência pessoal.

Um idoso que tem pouca massa muscular não tem a força física suficiente para algumas ações, tendo risco aumentado de quedas e fraturas. O que acarretará no risco de morte, na sua imobilidade e dependência de terceiros para suas atividades. Dessa maneira, seu estado emocional estaria também prejudicado, levando em consideração que habilidades simples como caminhar seriam perdidas. Dessa maneira a quantidade de músculos no seu corpo é uma medida para se avaliar expectativa de vida e longevidade. A sarcopenia é a perda desta musculatura de maneira que se diminui a saúde e a qualidade de vida.

No entanto, a Nutrologia pode trazer abordagens importantíssimas para que este quadro seja evitado. As orientações são desde a prática da Musculação, que fortalece a musculatura e ativa a produção destes hormônios que estão em queda, mas sendo mais detalhista entra a suplementação com BCAA. Este suplemento é a representação de 3 aminoácidos relacionados ao ganho de massa muscular.

Fornecer proteína e aminoácidos, individualmente para o idoso é essencial para construção de massa muscular. Os BCAA’s (isoleucina, leucina e valina) certamente são a melhores opções para prevenir a sarcopenia nesta população. Mas para isso, o indivíduo deve passar por uma avaliação médica especializada, sendo fornecida a dose ideal para cada um. Você pode encontrar os BCAA’s na forma de suplementos ou na Whey Protein, carnes brancas e vermelhas, além do famoso arroz e feijão de nós brasileiros.

Essa foi a dica de hoje. Siga-me nas redes sociais e fique sempre atualizado com informações sobre saúde e bem-estar. Obrigado e até o próximo encontro.

SAÚDE EM DIA
Recife recebe a première de “Unseen Enemy”


Recife foi a cidade escolhida para a estreia do documentário de longa duração “Unseen Enemy” (Inimigo Invisível), no Brasil. O evento de lançamento do filme, filmado em julho de 2016 em Recife, será no Cinemark, do shopping RioMar, em sessão exclusiva para convidados, envolvidos na crise do Zika vírus e a imprensa (local e de outras partes do País), no dia 5 de dezembro, com o apoio institucional da Janssen, empresa farmacêutica do grupo Johnson & Johnson. Realizado pela diretora vencedora do Emmy-Award, Janet Tobias, “Unseen Enemy” explica a ameaça real de uma pandemia global nos próximos anos e mostra a eclosão de epidemias no século 21, além do que é possível ser feito, em todos os continentes, para se lutar contra elas. Narrado por Jeffrey Wright, Emmy® e ator vencedor do Globo de Ouro, o filme examina as recentes epidemias do Ebola, Influenza e Zika, junto a alguns dos melhores especialistas mundiais sobre vírus e bactérias escondidas. Rodado também na África, durante a crise do Ebola, além da Ásia (gripe suína e aviária) e América do Norte (Influenza), “Unseen Enemy” mostra, ainda, como mudanças climáticas e viagens podem propagar e trazer viroses e bactérias para novas áreas do globo. Filmado também pelo diretor de fotografia Cesar Charlone, nomeado e conhecido por seu trabalho em Cidade de Deus (2002), “Unseen Enemy” deixa claro que as epidemias trazem o melhor e o pior do comportamento humano --e que os seus efeitos vão muito além da doença e da morte. No filme, médicos, detetives de doenças, homens e mulheres comuns contam como viveram o horror de uma epidemia e como saíram profundamente transformados por ela.

Leia também:
Ovo: mocinho ou vilão?  
Movimente-se: sedentarismo é fator de risco de para diabetes e hipertensão


DOSE DE SAÚDE

Paula Pessoa é profissional de Educação Física

Paula Pessoa é profissional de Educação Física - Crédito: Cortesia


"Minha dose diária de saúde é deixar os principais pilares sempre em equilíbrio (treino, alimentação e sono). Meu treino divido em cardiorrespiratório e treinamento de força onde procuro dar um intervalo de pelo menos 6 horas entre eles, minha alimentação fica a critério da nutricionista onde montamos estratégias de acordo com minha rotina de treino e o trabalho para que meu corpo esteja sempre disposto e não entre em fadiga, também sou acompanhada por um médico para dar todo suporte a parte da funcionalidade e envelhecimento saudável, equilibrando os hormônios, vitaminas, minerais tornando a vida muito mais VIDA!!!! Sou uma pessoa muito determinada o que ajuda muito porque pra mim não é sacrifico nenhum treinar e fazer dieta, faço por amor! E pra quem não acha importante, mas é fundamental: O sono, sem ele não conseguimos nem saúde e nem massa muscular". TREINO+ALIMENTAÇÃO+DESCANSO= SUCESSO. Paula Pessoa – Profissional de Educação Física

VOCÊ SABIA?


Guilherme Chateaubriand é nutricionista esportivo-funcional

Guilherme Chateaubriand é nutricionista esportivo-funcional - Crédito: Cortesia


"A ANONNA MURICATAL, popularmente conhecida como graviola, pertence à família das ANONNACEAE (cherimólia, pinha, atemoia). Pernambuco atualmente é o maior produtor do fruto, em seguida vem a Bahia, que comercializa maior parte de sua produção para o estado de São Paulo, em forma de polpa processada. A graviola possui uma excelente sazonalidade tanto para seus produtores, quanto para o mercado consumidor, que percebe a baixa oferta do fruto principalmente nos meses de Fevereiro e Março. A hortaliça exibe sabor adocicado, em 100 g são encontradas cerca de 62 calorias, 15,8 gramas de carboidratos, minerais,compostos fenólicos, pequenas quantidades de proteínas e gorduras, e praticamente a mesma quantidade de potássio da banana pacovã. O fruto e suas sementestrituradas possuem potenciais efeitos inibitórios da proliferação de vermes, parasitas e vírus (Herpes simplex), além atestar eficiências antitérmica, diurética e antidepressivas. A casca, raízes e folhas podem ser utilizadas para preparação de chás na forma de infusão, que agregam propriedades sedativa, antiespasmódica, anti-inflamatória, hipotensiva, antidiabética e antitumorais. A graviola preferencialmente deve ser usada em sua forma natural, podendo assim se extrair substâncias como ACETOGENINA, do fruto, e Beta-cariofileno, Gama-cadineno e alfaelemeno da casca, folha e raízes, que são fitoquímicos com alto potencial antioxidante. Embora ensaios clínicos e alguns estudos apresentem resultados animadores, os efeitos profiláticos e preventivos da utilização da graviola no tratamento tumores como o de próstata e pele, ainda precisam ser mais estudados". Guilherme Chateaubriand, nutricionista esportivo-funcional.

* Rafael Coelho (CRM: 23943/PE) é médico pós-graduado em Nutrologia pela Associação Brasileira de Nutrologia (Abran) e atualização em Medicina Ortomolecular. É Diretor da Comissão de Saúde e Performance da Federação Estadual de Fisiculturismo (IFPP-PE). Sugestões para contato@jademilsonsilva.com

** A Folha de Pernambuco não se responsabiliza pelo conteúdo das colunas.

 

veja também

comentários

comece o dia bem informado: