Roseane Faneco
Roseane FanecoFoto: Divulgação / Marcos Pastich / PCR

Roseana Faneco Amorim, conselheira do Porto Social, Responsável pela Rede de Empreendedorismo em Recife e Diretora Nordeste da Rede Brasileira de Cidades Inteligentes e Humanas, é a convidada desta quarta-feira (20) da coluna Sucesso, uma parceria do Portal FolhaPE com o Sucesso.site, de Felipe, Eduarda e Camila Haeckel.

Ao longo de minha carreira profissional fui descobrindo que havia algumas pessoas com comportamentos que irradiavam uma energia vibrante, um comprometimento que fazia grande diferença e uma permanente sensação de satisfação e prazer com as tarefas que desenvolviam e, literalmente, assumiam e garantiam o sucesso das missões que lhes fossem confiadas... Sempre demonstravam uma visão mais abrangente e uma motivação ampliada, uma inquietude para fazer sempre mais do que lhes era solicitado... Algo que os fazia diferentes!

Ainda como estudante costumava ler Bert Hoselitz, o qual apresentava o empreendedor como possuidor de personalidade focada na produtividade e na execução do trabalho, da tarefa, do operacional. Leibenstein o definia como aquele que cria empresas para atender demanda do mercado. Ambas as colocações não atendiam o meu anseio e nem ajudavam o meu entendimento daquilo que eu sentia no dia a dia. Com certeza havia algo diferente... E assim fui buscando algumas razões que me fizessem entender como poderia ajudar aos demais que não atuavam no formato mais dinâmico, até que descobri o belo trabalho de David McClean, que fez todo sentido para a minha compreensão. Através dele descobri o segredo!

Há em cada um de nós características que nos levam a agir de maneira empreendedora, como forma de atender uma necessidade de realização pessoal, ser influente, causar impacto e manter relações emocionais positivas. São elas:

Busca de Oportunidades e Iniciativa
Persistência
Correr Riscos Calculados
Comprometimento
Busca de Informações
Estabelecimento de Metas
Planejamento e Monitoramento Sistemáticos
Persuasão e Rede de Contatos
Independência e Autoconfiança

As dez CCE’s foram mapeadas pela Organização das Nações Unidas - ONU e estruturadas em uma metodologia especifica para formação de empreendedores - EMPRETEC, há 30 anos no mundo, hoje espalhada em mais de 40 países e com 400 mil pessoas impactadas, sendo 200 mil no Brasil, onde o curso foi implantado há 25 anos, fato que permite o nosso país ser o primeiro no ranking Estudo Global Entrepreneurship Monitor (GEM), com o maior número de atividades empreendedoras, onde a cada dez brasileiros, três já abriram seus negócios.

Empreender não é só abrir uma empresa
E assim minha paixão foi aumentando e entendi que caminhar pelo empreendedorismo fazia toda diferença na minha vida. Havia eco com meu propósito de vida e satisfação em meu viver. E por ai fui descobrindo, na prática, como as características do comportamento empreendedor podem provocar grande impacto na vida das pessoas e são capazes de nos trazer lucros nas atividades empresariais, destaque pela liderança quando estamos empregados ou empreendendo em nossa vida pessoal. E com alegria descobri o melhor, elas podem ser desenvolvidas e estimuladas independentes da existência de um CNPJ, ou seja, para ser empreendedor não é necessário abrir uma empresa, não é condição exclusiva de quem possui um negócio estruturado. O que vale é a capacidade de empreender onde você atua, sendo professor, médico, advogado, engenheiro, como estudante ou qualquer outra atividade, uma vez que será assim considerado quem for capaz de inovar, contribuir com ideias disruptivas, tiver ações que agreguem e revolucionem a própria atuação e inspire os que estão ao seu entorno.

Tipos de empreendedorismo
Assim, desta forma podemos encontrar vários tipos, quer seja no campo do empreendedorismo social, onde a vontade de transformar e inspirar pessoas a fazer o mesmo é a tônica do trabalho, como a Alcione Albanese, fundadora da ONG Amigos do Bem, que impacta 60 mil vidas no Sertão Nordestino, o empreendedor digital como o professor Silvio Meira, um dos fundadores do CESAR – Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife, o Dr. Enio Cantarelli que foi exemplo de empreendedor na gestão pública, onde revolucionou a assistência aos pacientes e o serviço de cardiologia de Pernambuco, contribuindo de forma decisiva à fundação do Hospital de Cardiologia do Estado. Além do empreendedor nato, como o Geraldo Rufino da JR Diesel, que nascido em favela, ainda jovem iniciou sua trajetória, e mesmo falindo várias vezes foi capaz de persistir e hoje é proprietário da maior Empresa de reciclagem automotor.

Ressalta-se ainda a categoria de empreendedores individuais, conhecidos como MEI, que atuam no mercado com uma atividade empresarial própria. Esse último grupo possui legislação específica e tributos com valor fixo diferenciado, fato que tem elevado exponencialmente o numero de MEI em todo país, onde são mais de sete milhões e meio, registrados, que passam a ter contratação com a economia formal e gozo dos direitos sociais fundamentais, como auxílio maternidade e de doença, além da própria aposentadoria. Apenas em Recife, no início deste ano, foram computados 65.387, do total de 253.379, cadastrados em Pernambuco, de acordo com dados do portal do empreendedor.

O que caracteriza um empreendedor?
Empreender é algo muito mais amplo e prazeroso, é ter brilho nos olhos, é ter fé em sua capacidade de liderança, é gostar de pessoas e trabalhar para que elas se desenvolvam. É encontrar motivação todos os momentos para lutar pelos seus sonhos, ser capaz de ter visão de futuro e planejar o passo a passo, maximizando o próprio desempenho. É um processo de desafio constante e que nos torna melhores a cada dia, é ter consciência de que o empoderamento que tanto se propaga, realmente existe e é real; somos poderosos em função de que somos de fato o comandante da nossa nau! Quando assumimos nossos atos e não vamos à busca de culpados ou responsáveis! Você é o presidente dessa grande e maravilhosa empresa que é o seu viver. Tome posse desse poder de fazer valer o seu conhecimento, de desenvolver suas habilidades e tomar as atitudes que a vida lhe pede. Busque crescer e se desenvolver cada dia mais, fortaleça e amplie suas experiências, desenvolva suas conexões e principalmente, aja, atue, viva, não espere, não postergue! É melhor ter que ajustar o rumo do que se perder na paralisia da ausência de ações. Não tenha medo de errar, pois é assim que se consegue chegar onde se deseja, foque no seu sonho e os degraus surgirão à medida que conseguir fortalecer as suas estratégias. Busque atuar em rede, faça parcerias, seja ponte, construa boas articulações, seja contributivo às soluções, agregue valor aos que com você convivem e tenha absoluta certeza que a vida lhe devolve o que você emana aos que lhes cercam. Assim é na vida... Assim são os negócios!

Ser empreendedor é um estilo de vida, um modo operante, uma forma de enfrentar os desafios e buscar a realização de seus sonhos, quer sejam pessoais ou profissionais. Independe da cor, do gênero e do local em que vive. É o modo como entendo e reajo perante demandas às quais somos submetidos diariamente. É ser inovador, arrojado, ver oportunidades e enfrentar os desafios com garra; é ter um olhar especial para ver os negócios e fazer do seu sonho realidade. Enfim, é a sua maneira de agir, de atuar, de ser protagonista da sua própria história, de definir suas metas e fazer suas escolhas sintonizadas com o que deseja deixar como legado. É uma disposição inata que impõe um ritmo frenético em prol da realização de seus sonhos. Pode-se dizer que todo grande empresário é antes de tudo um excelente empreendedor, mas nem todo empreendedor precisa de um cadastro de pessoa jurídica para poder desenvolver o seu potencial. O empreendedorismo possui diversas definições, porém todas vinculadas à estruturação de um negócio e foi utilizado inicialmente pelo economista Joseph Schumpeter, em 1950, como forma das empresas buscarem inovação e se preocuparem em transformar conhecimento em novos produtos, enquanto o empreendedor é o agente de mudança, é um indivíduo que não espera as coisas acontecerem, é focado também na inovação e em busca de resultados, sem que necessariamente precise de uma empresa sua para fazer acontecer.

Ele atua onde está, inspira e realiza a mudança que acredita como necessária e assim direciona o seu fazer! São inúmeros os exemplos que temos no mundo inteiro e na grande maioria o sucesso de quem faz nem sempre requer uma formação especializada, mas com toda certeza depende essencialmente do desenvolvimento dessas características empreendedoras e aqui para personalizar o exemplo de empreendedor de sucesso, apresento minhas reverências ao Pernambucano por adoção e que muito orgulha os nordestinos, Sr. João Carlos Paes Mendonça, que atua nos setores de comunicação, Shopping Centers e imobiliário, além de desenvolver e importantes obras de alcance de inclusão social e que tem como principal característica o gosto pelo desafio, à busca do novo, o que pode ser visto em sua permanente capacidade de inovar e diversificar a atuação de seu grupo econômico.

Educação empreendedora é a semente do sucesso
Com foco nessa temática temos uma grande contribuição à educação! Imagine uma geração criada com a certeza de que pode fazer a diferença onde estiver. Que assuma as rédeas de sua própria vida, que cresça acreditando em si próprio e tenha suas características estimuladas. Que as mães e educadores possam estimular à criança para que aprenda desde cedo a sonhar, através de uma visão de futuro, que lute por sua realização com persistência e determinação; mantenha-se motivada e capaz de correr riscos calculados, assumindo a responsabilidade pela gestão de sua maior empresa que é a sua própria vida!

Essa é de fato a maior contribuição do empreendedorismo, é o passo a passo rumo ao sucesso, uma vez que por trás de cada empresa há pessoas, que dão rumo ao empreendimento, que imprime seu estilo e sua força de trabalho, que geram empregos e dinamizam a economia. Neste ponto vale ressaltar o belo trabalho inovador que o Programa Nacional de Educação Empreendedora SEBRAE, vem desenvolvendo, onde pela primeira vez atua capacitando os mestres para focarem no indivíduo ainda em formação, crianças e jovens, priorizando o equilíbrio entre o “querer fazer” e o “reunir as condições para poder realizá-lo”. Tal processo consiste em proporcionar aos professores, técnicas e ferramentas para que sejam capazes de despertarem no estudante a oportunidade de enxergar as diversas situações, avaliando-as e sendo capaz de assumir uma posição proativa, criando estratégias para lidar com o que de novo descobre nessa exploração de um mundo aberto aos sonhos e construções coletivas.

Um jeito novo de ver e agir no contexto em que se vive, sendo capaz de buscar alternativas de solução para os problemas reais que os afligem. A essência é tornar o jovem responsável por suas escolhas e dono de sua própria história, fornecendo-lhe na prática a vivência de uma atuação empreendedora, inclusive com a estruturação de um negócio que atenda a demanda da própria unidade escolar, bem sintonizado com a revolução educacional que a Finlândia promoveu nos anos 70 e que transformou o país em um dos mais igualitários e com excelentes posições nos rankings de inovação, competitividade e produtividade.

Assim sendo, cabe uma reflexão e um alerta para que o empreendedorismo seja estimulado desde os primeiros anos de vida, tal qual como tem sido feito com maestria por aqueles que acreditando nesse propósito vem construindo uma nova geração focada no desenvolvimento de atividades que fortalecem as características citadas, proporcionando condições para que esses jovens sejam protagonistas de seus destinos e façam escolhas conscientes e alinhadas com o que desejam deixar como marca em suas vidas. É a geração do foco nos propósitos, da sintonia de valores e de sinergia pelo prazer de fazer o que gostam e assim se preparam para isto! É bem como diz Geraldo Vandré em uma de suas canções e que pode ser considerada o hino dos empreendedores: “quem sabe faz a hora não espera acontecer!“.

Empreender é transformar vidas: a sua e a dos outros
Fica aqui o recado de que possamos enxergar o empreendedorismo como um excelente caminho para bons negócios e mais ainda para uma sociedade mais feliz e realizada, pois o prazer de se fazer o que se tem paixão é o maior legado que se pode imprimir a uma comunidade, fortalecendo a compreensão do mundo que nos cerca, ampliando a resistência mental, além de permitir um efetivo acréscimo à sua produtividade e de seus colaboradores, independente se atua em iniciativa privada ou gestão pública, uma vez que a criatividade, inovação e foco na tarefa, cabem em qualquer ambiente, independente de sua natureza jurídica.

Que este artigo sirva para estimular a você, querido leitor, a se aventurar a uma vida mais empreendedora e capaz de proporcionar aos seus filhos e pessoas com quem convive, um ambiente voltado para o fortalecimento das suas potencialidades, capaz de estimular a superação das adversidades e trabalhar as oportunidades de melhorias. Visando assim proporcionar equilíbrio entre vida pessoal e profissional, lazer e saúde, desenvolvendo a habilidade de gerenciar o estresse e as preocupações cotidianas, garantindo vigor e satisfação nos compromissos que lhes são pertinentes.

Este é um convite! Um desafio! Faça de sua vida a sua melhor empresa! Atue de forma que esteja apta a lhe proporcionar o melhor resultado: o prêmio de olhar à sua trajetória e constatar que valeu a pena viver de acordo com seu propósito e em sintonia com seus valores.

E agora, responda: Você é um empreendedor de sucesso? O que falta para atuar como um deles? Quais as características que você precisa desenvolver ou reforçar nesse processo? Avante, vamos empreender! Vamos fazer história e deixar um belo legado como resultado de nossas ações.

PERFIL

Roseana Faneco Amorim, graduada em Psicologia e Direito, com pós em Gestão Pública, MBA em Qualidade em Serviços, especialização em Dinâmica de Grupos e pós em Organização, Sistemas e Métodos. Consultora e mentora na área de Liderança e Gestão da Qualidade. Conselheira do Porto Social, Responsável pela Rede de Empreendedorismo em Recife e Diretora Nordeste da Rede Brasileira de Cidades Inteligentes e Humanas.

*A Folha de Pernambuco não se responsabiliza pelo conteúdo das colunas.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: