Ato pró-Lula na Praça da Independência, no Centro do Recife.
Ato pró-Lula na Praça da Independência, no Centro do Recife.Foto: Anderson Stevens/Folha de Pernambuco

Um dia após o imbróglio jurídico envolvendo um habeas corpus em favor do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), simpatizantes do petista e defensores de sua candidatura à Presidência da República foram às ruas do Recife, nesta segunda-feira (9) para pedir a liberdade do cacique petista. Lula está preso desde o dia 7 de abril na Superintendência da Polícia Federal (PF) em Curitiba (PR).

O grupo se concentra na Praça da Independência, na área central do Recife, e conta com um carro de som, além de bandeiras e faixas que defendem a liberdade do ex-presidente.

"Estamos fazendo com a Frente Brasil esse ato. Estamos vindo de uma reunião, até 15 de agosto vamos fazer vários atos. Vamos lançar Lula, o lançamento estadual dele vai ser no dia 18. Vamos fazer panfletagem, vamos discutir um grupo e uma comissão de petistas e dos movimentos sociais para ir no dia 15 de agosto fazer a inscrição dele como candidato. Ou seja, continuamos lutando por uma direito que não é de Lula. O direito de Lula ser candidato é um direito da maioria do povo brasileiro, que as pesquisas mostram querem votar nele", afirmou Bruno Ribeiro, presidente estadual do PT, presente ao ato.

Bruno Ribeiro também criticou a manutenção da prisão de Lula. O dirigente partidário lembrou que o presidente do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), Carlos Eduardo Thompson Flores, foi nomeado pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e alertou para o crescimento eleitoral de Lula depois dos últimos acontecimentos envolvendo a Justiça.

“Os fatos de ontem confirmam tudo que a gente vem denunciando. Todos os parâmetros da Justiça foram quebrados ontem. Um mantra que nós aprendemos desde jovem é decisão de Justiça não se discute, se cumpre. Nós assistimos ontem um juiz de férias em Portugal despachar para dar contraordem a ordem de desembargador. Assistimos outro desembargador de férias ir ao Tribunal para dar uma decisão conflitante com outro desembargador, que tava no exercício de sua jurisdição, como plantonista. E de noite o presidente do Tribunal, que no ano passado que declarava e tranquilizava que julgaria Lula antes da eleição e que não tinha lido a sentença de Moro, mas era Boa, ele vai de noite e revoga”, criticou. Segundo Bruno Ribeiro, este movimento confirma o que o grupo vem denunciando e um direcionamento para manter Lula preso sem respaldo.



   Candidatura

O PT de Pernambuco pretende lançar a candidatur de Lula à Presidência no próximo dia 18 de julho. Ainda não foi definido um local para o ato político.

De acordo com Bruno Ribeiro, presidente estadual do PT, a legenda continua com a programação das três pré-candidaturas, inclusive a de Marília Arraes (PT). Além dela, colocaram seus nomes o deputado estadual Odacy Amorim (PT) e o dirigente partidário José de Oliveira (PT).

Com informações de Jairo Lima, da editoria de Política

comece o dia bem informado: