André Ferreira
André FerreiraFoto: Arthur Mota/Folha PE

O deputado estadual André Ferreira (PSC) justificou, nesta quarta (11), o acordo feito com o deputado Bruno Araújo (PSDB) para colocar o vereador Fred Ferreira (PSC) na vaga de vice-governador pela oposição. Segundo ele, o tucano topou o desafio de disputar o Senado e seu grupo político teria legitimidade para participar da chapa majoritária, pelo peso eleitoral que a família Ferreira possui na Região Metropolitana do Recife. Mesmo assim, André sabe que estas indicações devem passar pelo crivo do grupo, liderado pelo senador Armando Monteiro (PTB).

De acordo com André Ferreira, a vaga ao Senado seria sua. Mas a morte do deputado estadual Guilherme Uchoa, que havia ingressado recentemente no PSC, mudou o cenário. Seu filho, Guilherme Uchoa Júnior, que iria ser o representante do partido na eleição para deputado federal, tentará agora ingressar na Assembleia Legislativa. “Com isso, tenho o compromisso de reforçar a bancada a nível nacional. Mudou a prioridade. Vou disputar para deputado federal”, colocou o parlamentar, em entrevista ao programa Folha Política desta quarta (11).

Na sua visão, o PSDB deve ser contemplado com a indicação para o Senado e Fred Ferreira seria candidato a vice de Armando. “Vamos construir dentro da frente de oposição uma posição para que nosso grupo seja contemplado. Sobra a vaga de vice”, afirmou.

Porém, Armando já tratou de mandar um recado para André e Bruno, demonstrando que não aceitará debates sobre vagas na chapa fora do ambiente interno. “Não sabia que se definia chapa pelos jornais. Como candidato a governador, com a delegação que recebi do conjunto desde a consolidação da formação da frente Pernambuco Vai Mudar, sou eu que coordeno o processo. Salvo se me for retirada essa delegação", ressaltou, em nota divulgada nesta quarta (11).

Sabemos que isso não deveria ser tratado pelos jornais. Se tivermos a vaga na majoritária, porque acredito que iremos participar da majoritária, temos um candidato que é competitivo, representa o voto evangélico e tem voto na Região Metropolitana. Agora claro que isso é definido por Armando e pelo conjunto de forças da oposição. Não será definido por Bruno, Daniel e Mendonça só. O grupo vai se sentar para decidir em conjunto”, informou André, durante a entrevista, antes mesmo da nota de Armando. A conversa para tratar dos rumos da oposição deve acontecer até a quarta-feira (18).

Confira a íntegra da entrevista com André Ferreira no Podcast Folhape:

comece o dia bem informado: