Otávio Rêgo Barros, porta-voz da presidência da República
Otávio Rêgo Barros, porta-voz da presidência da RepúblicaFoto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro dará liberdade para que o novo ministro da Educação, Abraham Weintraub, monte sua equipe na pasta. A informação é do porta-voz da Presidência República, Otávio Rêgo Barros.

"O presidente autoriza e estimula que seus ministros escalem suas equipes", afirmou em conversa com jornalistas após acompanhar Bolsonaro na cerimônia de sanção da nova lei do Cadastro Positivo, no Palácio do Planalto, na tarde desta segunda-feira (8). Em pouco mais de três meses, houve mais de dez demissões em postos do alto escalão do MEC e órgãos vinculados.

Mais cedo, Bolsonaro anunciou que Weintraub é o substituto de Ricardo Vélez Rodríguez no MEC. Professor da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), Weintraub foi executivo do mercado financeiro, atuou no grupo Votorantim e foi membro do comitê de Trading da BM&FBovespa. Em 2016, coordenou a apresentação de uma proposta alternativa de reforma da previdência social formulada pelos professores da Unifesp. Antes de se tornar ministro, o professor atuava como secretário executivo da Casa Civil, sob o comando de Onyx Lorenzoni.

Leia também:
Bolsonaro corrige formação de ministro da Educação após anunciá-lo como doutor 

Ao comentar a troca no MEC, o porta-voz ressaltou a necessidade de melhorar a gestão da pasta. "[O presidente] entendeu que a gente poderia melhorar a gestão do Ministério da Educação, que é tão importante para a consecução dos objetivos do governo, [em] razão disso fez uma seleção de belos nomes que existiam dentro do amplo espectro da nossa academia", disse. Ele ainda elogiou o perfil do novo ministro. "Obviamente, dá pra avaliar-se que ele é muito preparado, tem inclusive gestão na área financeira", acrescentou.

Prefeitos

Terça-feira (9), o presidente Jair Bolsonaro participa da abertura da 22ª Marcha Nacional dos Prefeitos, em Brasília. O evento é organizado desde 1998 pela Confederação Nacional dos Municípios, e deve reunir mais de 8 mil pessoas na capital federal, entre os gestores e secretários municipais.

Após participar do evento, o presidente dará continuidade aos encontros com presidentes de partidos políticos.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: