Fogo Cruzado

Inaldo Sampaio

ver colunas anteriores
Inaldo Sampaio
Inaldo SampaioFoto: Colunista

O deputado Cleiton Collins será confirmado na presidência da Assembleia Legislativa para substituir Guilherme Uchoa, que morreu na última segunda-feira vitimado por um edema pulmonar. Ele assumiu interinamente a presidência da Casa na condição de primeiro vice. Mas assim que convocar a sessão ordinária para a escolha do novo presidente, em agosto próximo, seu nome será sacramentado para o lugar. Não apenas por ser o candidato natural a vaga, mas também por pertencer ao partido que tem a maior bancada (14 parlamentares). Geralmente, o Poder Executivo costuma interferir nessas disputas apoiando por debaixo dos panos um candidato do seu interesse. Mas o chefe da Casa Civil, André Campos, garante que desta vez não haverá interferência, Caberá aos próprios deputados escolherem o presidente do seu interesse, em absoluto respeito â autonomia do Poder Legislativo. Melhor assim para a Casa e também para o próprio governo, pois qualquer nome do PSB que se apresentasse correria o risco de sofrer fragorosa derrota, â execão talvez do primeiro-secretário Diogo Moraes. O deputado Nilton Mota é novato na Casa e não teria condições de viabilizar-se e o deputado Waldemar Borges pode ser uma opção para 2019, caso o PSB faça a maior bancada.

Pressão para estadual

Familiares do empresário Guilherme Uchoa Jumior (PSC) vão fazer um apelo para desistir da candidatura â Câmara Federal e preparar-se para substituir o pai na Assembleia Legislativa. Alegam que o próprio Guilherme, antes de morrer, vinha externando preocupação com a candidatura do filho porque ainda não tinha conseguido viabilizar os 100 mil votos necessários para a sua eleição.

Prejuízo > Ainda que o PT nacional dê autorização à vereadora Marília Arraes para lançar-se candidata ao governo de Pernambuco, o prejuízo que causou à candidatura dela é irrecuperável. Ele deixou de celebrar algumas alianças com partidos menores exatamente porque não tinha autorização para falar em nome da legenda.

Sem pressão > Presidente regional do PP, o deputado Eduardo da Fonte não precisou fazer pressão para que seu correligionário Cleiton Collins obtivesse o apoio dos colegas para eleger-se presidente da Alepe. Cleiton cozeu-se com suas próprias linhas.

O acordo > Antes de trocar o PDT pelo PSC, Guilherme Uchoa fez um acordo com o presidente regional deste partido, André Ferreira. Caso o PSC fosse para a oposição, ele, Uchoa, teria a liberdade para acompanhar ou não a posição do partido.

A disputa > Com a eleição de Cleiton Collins para presidente da Alepe, a disputa agora se dará pela primeira vice-presidência da Casa. O PSB está fora do jogo porque já tem a primeira-secretaria.

E tarde > Alckmin voltou a cogitar o nome do deputado pernambucano Mendonça Filho para vice de sua chapa, mas o ex-ministro da Educação considera o convite fora da tarde. Já está em campanha para senador em Pernambuco e não pretende abdicar desse projeto.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: