Fogo Cruzado

Inaldo Sampaio

ver colunas anteriores
Inaldo Sampaio
Inaldo SampaioFoto: Colunista

Vez por outra, um engraçadinho (a) do Sul/Sudeste coloca nas redes sociais que o Nordeste é o estorvo do Brasil. Uma região de analfabetos por ter dado a vitória a Haddad no 1º turno da eleição presidencial. Por causa desse ódio aos nordestinos, o presidente da OAB-PE, Ronnie Duarte, pediu providências ao Ministério Público Federal para apurar os responsáveis por esse tipo de postagem. É perda de tempo, pois esses idiotas dificilmente serão identificados. O Nordeste tem que dar a resposta recorrendo à História, como costumava fazer Tancredo Neves (que falta ele está fazendo ao Brasil!). O sábio mineiro costumava dizer que o poderoso São Paulo, que tem ¼ dos eleitores do Brasil, nunca deu um estadista. Pernambuco deu Frei Caneca, Joaquim Nabuco e Agamenon Magalhães, para citar apenas esses três. E o que nos legou São Paulo nos últimos dois séculos? Ademar de Barros (o homem do “rouba mas faz”), Quércia (que Deus o tenha!) e Maluf (para citar também apenas três). Poderão dizer que FHC seria a exceção, mas isso é falso. Ele nasceu no Rio de Janeiro. Os que discriminam os nordestinos (lá em São Paulo é o que mais se vê), certamente eleitores de Bolsonaro, deveriam fazer o que ele fez anteontem em entrevista ao Jornal Nacional: “Quero ser presidente para unir o Brasil”.

Reduto de Lula e não do PT
Paulistas preconceituosos criticam o Nordeste por ser supostamente “reduto cativo” do PT. Não é verdade. O Nordeste pode até ser reduto de Lula, que muito fez pela região quando era presidente da República, mas não do PT. Em Pernambuco, por exemplo, Haddad, candidato de Lula, bateu Bolsonaro no 1º turno. Mas o PT elegeu apenas 2 deputados federais e 3 estaduais.

Sem partido > O vereador recifense Jayme Asfora, que não conseguir eleger-se deputado estadual, desligou-se ontem do PROS. Trocou o MDB por esse partido na esperança de encontrara mais “democracia interna”, mas se enganou. Vai ficar sem partido até abril de 2020.

Duas correções > Diferentemente do que se disse ontem na coluna, quatro deputados estaduais ampliaram suas votações em relação a 2014: Lucas Rampos (PSB), Joel da Harpa (PP), Rodrigo Novaes (PSD) e Clodoaldo Magalhães (PSB). Também está errada a informação de que Haddad perdeu em Petrolina.

A inversão > Como candidata a prefeita de Olinda em 2016, Luciana Santos (PCdoB) ficou em 4º lugar. Hoje é vice-governadora eleita e o candidato que o derrotou, Professor Lupércio (SD), não conseguiu eleger a mulher para a Assembleia Legislativa. A política só tem graça por causa disto.

A volta > O PCdoB garantiu também a eleição do ex-prefeito Renildo Calheiros para a Câmara Federal, um dos poucos de Olinda que se salvaram. Perderam a eleição os candidatos a deputado estadual Ricardo Costa (PP), Izabel Urquisa (PSC), Antonio Campos (Podemos) e Cláudia de Lupércio (SD). E o candidato a deputado federal André Siqueira (Patrriota).

A força > Júnior Matuto (PSB), prefeito de Paulista, deu a vitória em seu município aos seus candidatos a governador (Paulo Câmara), senadores (Jarbas e Mendonça) e deputado federal (João Campos). Mas seu estadual, Francismar Pontes, perdeu feio pela Gleide Ângelo (PSB).

veja também

comentários

comece o dia bem informado: