Folha Política

Renata Bezerra de Melo

ver colunas anteriores
FBC, Fernando Filho e Miguel Coelho
FBC, Fernando Filho e Miguel CoelhoFoto: divulgação

A decisão do juiz José Alberto de Barros Freitas Filho, que autorizou o procedimento de dissolução do diretório estadual do PMDB, deu uma segurança a mais ao grupo liderado pelo senador Fernando Bezerra Coelho, que tem pressa para iniciar o processo de filiações. Essa urgência foi um dos argumentos usados pelo PMDB nacional ao solicitar apreciação do caso, conforme o magistrado relata: "O suplicado fundamenta seu pedido de urgência na proximidade do prazo final para as filiações partidárias e no fato de o clima de incerteza gerado pela indefinição jurídica prejudicar as tratativas para angariar novos quadros e definir possíveis alianças".

Há expectativa de que o ministro Fernando Filho e o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho, ingressem nas hostes peemedebistas juntos. E a a previsão é de que até a segunda-feira ou terça-feira, o PMDB-PE seja notificado para apresentar defesa ao PMDB nacional. A partir da notificação, contará prazo de oito dias. O relator, então, apresenta o parecer. Até então, o designado era Baleia Rossi. No PMDB nacional e entre os Coelho, espera-se que, até o final de fevereiro, o imbróglio esteja encerrado. No PMDB-PE, que recorreu ontem ao TJPE, a regra é "matar lutando" em um "caminho sem volta". A preocupação é que, em ano eleitoral, o prazo de filiações termina em abril, o que faz a pressa por um desfecho interessar aos dois lados.

Linha direta com prefeitos
Secretário de Habitação do Estado, Kaio Maniçoba, ao ser questionado sobre o volume de prejuízos resultante da decisão do ministros Alexandre Baldy, de alterar o prazo estipulado por Bruno Araújo de apresentação de projetos do Minha Casa Minha Vida, diz que as negociações do Ministério das Cidades na gestão de Bruno foram feitas direto com os municípios sem que o Estado participasse.

Testemunha - Ministro do TCU, José Múcio Monteiro foi depor quatro vezes como testemunha convocada por Lula em relação a Lava Jato. Conseguiu com Sérgio Moro que tudo se desse por vídeoconferência. Alguma pergunta foi mais complicada? "Não. Uma coisa feita com muita elegância. Ele (Moro) é uma pessoa, assim, como diz o matuto, de pouco arrodeio, pergunta logo o que quer e os depoimentos não demoravam muito tempo, porque tinha uma fila grande para depor".

Sem...- Algumas perguntas foram da época de ministro outras de líder. Indagado se foi desconfortável ser arrolado, devolve: "Sou um sujeito marcado pela gratidão. Acho que gratidão é uma coisa que não prescreve".

... prescrição - E arremata: "A gente deve contar aos filhos todas as atenções que recebemos das pessoas para que eles também cultivem. Lula foi um homem muito elegante comigo. Eu nunca votei nele". E pondera: "Seria mais desconfortável dizer que não ia do que ter aceito. Agora, você dizer:' É confortável? Não é confortável' ".

Saldo - O vereador Ivan Moraes encerrou o primeiro ano de mandato na Câmara do Recife com três pedidos de informação que ainda não foram respondidos pela prefeitura, apesar de os prazos já terem vencido. Um deles requer dados sobre creches, o outro sobre a poda de árvores e o último sobre o pagamento de serviços prestados ao município no Carnaval entre 2013 e 2016.

Jornada - No recesso, o deputado Lucas Ramos tem focado na ampliação de apoios para consolidar sua candidatura a deputado federal. Em três dias, esteve em Petrolina, Lagoa Grande, Santa Maria da Boa Vista, Orocó e Araripina.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: