Folha Política

Renata Bezerra de Melo

ver colunas anteriores
Raimundo Pimentel e  Ciro Gomes
Raimundo Pimentel e Ciro GomesFoto: Marcelo Camargo/Agencia Brasil

Embora filiado ao PSL, partido de Jair Bolsonaro, o prefeito de Araripina, Raimundo Pimentel, entende que a melhor opção para o Brasil é o presidenciável Ciro Gomes, do PDT. A decisão do gestor de declarar apoio ao pedetista é pessoal, mas ele já defendeu essa tese, inclusive, junto à campanha do senador Armando Monteiro Neto. "Tenho o entendimento que, a partir da definição da não candidatura de Lula, esse seria o caminho a seguir", argumenta o gestor. Pimentel percebe que há uma aderência a Ciro em setores do Estado identificados com o ex-presidente Lula, condenado em segunda instância e impedido de concorrer pela Justiça Eleitoral. O prefeito pretende começar a identificar essas lideranças, reunindo-as em grupo para declarar apoio ao candidato pedetista à Presidência da República. O movimento está ganhando força, mas ainda é incipiente. Ontem, Raimundo Pimentel foi à mesa com o presidente estadual do PDT, Wolney Queiroz. Pela primeira vez, relatou sua ideia ao dirigente. "A gente vai fazer os contatos", adianta Pimentel à coluna. E explica: "Há identidade forte de Ciro com a questão do Nordeste. Ele conhece com profundidade e é alternativa muito mais viável do ponto de vista de uma candidatura como forma de romper esse cenário atual". Pimentel defende ainda que Ciro é "alguém com vivência política, foi governador, prefeito, esteve no Congresso e conhece o jogo político. Por isso essa minha decisão". Alguns prefeitos já fizeram contato. Pimentel começou a trabalhar isso ontem e sua posição independe de Armando declarar apoio a Ciro, o que também é esperado. Mas isso se consolidando, os dois podem até fazer ato conjunto com Ciro presente em Pernambuco.

Um pé lá, outro cá
Entre aliados de Armando Monteiro, há quem argumente que o governador Paulo Câmara, ao declarar apoio a Lula e manter o PDT na gestão, ficou "com um pé lá e outro cá". Em outras palavras, dizem que ele estaria ancorado em dois palanques presidenciais, do PT e do PDT. E avaliam que, ao apoiar Ciro, o petebista, em alguma medida, inviabilizaria essa "conta" do governador.

Ao telefone > Pastor Jairinho é um dos candidatos evangélicos de Marina Silva. O outro é Pastor Arruda, do Distrito Federal. No último sábado, Pastor Jairinho trocou telefonema com Marina. Entre outras coisas, falaram da hipótese de uma visita dela a Pernambuco no próximo dia primeiro de outubro.

Marina em PE > Segundo Roberto Leandro, representante de Pernambuco na Executiva Nacional da Rede, a sigla planeja uma agenda de Marina Silva no Semiárido. A ideia é que envolva Ceará, Pernambuco e Bahia, passando por, Petrolina, Araripina e Crato.

Reação 1 > Em meio ao mal-estar interno na Rede, conforme a coluna registrou ontem - depois que Julio Lossio recebeu apoios do coronel Luiz Meira e do empresário Gilson Machado - a direção da sigla emitiu nota, desautorizando o apoio "qualquer aliança de seus candidatos majoritários com apoiadores da candidatura de Bolsonaro, em Pernambuco, utilizando a legenda da Rede".

Reação 2 > Na esteira, à coluna, Roberto Leando adverte: "Não podemos ficar calados quando esses representantes de Bolsonaro dizem que uma candidatura da Rede representa o pensamento da direita em Pernambuco, quando dizem que há identificação da chapa majoritária com pautas defendidas por Bolsonaro. A Rede faz alianças programáticas não, em torno de pessoas".

Boca do povo > Voltando de giro por 17 municípios, o deputado Danilo Cabral diz que um dos assuntos mais comentados é a Reforma Trabalhista e suas consequências para o mercado de trabalho.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: