Bruno Araújo (PSDB)
Bruno Araújo (PSDB)Foto: Paullo Allmeida/Folha de Pernambuco

Após participar da reunião da bancada do PSDB com Jair Bolsonaro, o deputado Bruno Araújo garantiu que, mesmo sem integrar a base, o partido dará a governabilidade necessária para que o futuro governo aprove a agenda de reformas. Adotando a mesma linha voluntariosa do governador eleito de São Paulo, João Doria (PSDB), Araújo elogiou a iniciativa da bancada parlamentar e dos governadores tucanos de formalizar um posicionamento favorável ao presidente eleito, mas cobrou uma posição oficial da cúpula da legenda - que, até então, reprova a aproximação com Bolsonaro.

Derrotado na disputa ao Senado em Pernambuco, Bruno Araújo reafirmou que cuidará da sua vida privada em 2019, mas, nos bastidores, é esperada uma aproximação do deputado com o Palácio do Planalto. “O partido tem tido dificuldades de decidir. A posição da bancada é de que vai apoiar reformas apresentadas que coincidem com o programa do PSDB, mas sem qualquer indicação de cargos”, alegou. “Se houver convites a filiados do PSDB, pela sua capacidade e pela qualidade dos quadros, não vejo problema”, ponderou.

Nos últimos anos, Araújo atuou próximo aos líderes do partido - como Aécio Neves e Geraldo Alckmin, que perderam força em razão das circunstâncias - e a tendência é que acompanhe Doria, cuja posição, é pró-Bolsonaro.

“Os governadores do Nordeste foram extremamente inábeis em virar as costas pra um governo eleito de forma democrática”, avaliou. O deputado ainda frisou que, como política direcionada para o Nordeste, Bolsonaro irá aprovar o 13º do Bolsa Família, "sem chicanas ou condicionantes, como fez o governador Paulo Câmara (PSB) em Pernambuco".

comece o dia bem informado: