Presidente Jair Bolsonaro
Presidente Jair BolsonaroFoto: Alan Santos/PR

O presidente Jair Bolsonaro prestou condolências, na noite desta quinta-feira (14), aos familiares e amigos das vítimas de um ataque a tiros na escola estadual Professor Raul Brasil, na última quarta.
   
A declaração foi feita durante a transmissão de um pronunciamento via redes sociais. O presidente disse que o atentado era uma barbaridade e que não é possível entender como os criminosos chegaram ao ponto de terem cometido o crime.

"Os nossos sentimentos, as nossas condolências aos familiares e amigos. Na verdade, todo o Brasil está de luto. É uma barbaridade que a gente não consegue entender como é que consegue fazer isso. Leva a o que isso daí?", disse se referindo aos criminosos.

Leia também:
Bolsonaro visita Trump para selar aliança conservadora

Durante a tarde da última quarta-feira, o presidente foi criticado pela demora em se posicionar sobre a tragédia de Suzano. Inicialmente, o Planalto se pronunciou por meio de uma nota à imprensa não assinada.

Só mais de seis horas após o crime, em sua conta oficial no Twitter disse que o caso era "uma monstruosidade e covardia sem tamanho."

O governo federal recebeu outras críticas vinculando o discurso do presidente de flexibilização de acesso às armas ao crime de Suzano. O porta-voz da Presidência, general Otávio Rêgo Barros, teve de comentar o caso.

"O evento em São Paulo não tem relação direta com os projetos propostos pelo nosso presidente no seu programa de governo e a partir da sua assunção do governo, capitaneados também pelo Ministério da Segurança", disse Rêgo Barros.

Durante a declaração desta quinta-feira, Bolsonaro destacou ainda a ida do ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodriguez à escola para ouvir os professores da unidade de ensino e transmitir os sentimentos do governo federal.

veja também

comentários

comece o dia bem informado: